Publicidade
Sim & Não

A guerra fria entre Amazonino e Arthur

18/06/2018 às 21:54 - Atualizado em 18/06/2018 às 21:54
Show amazonino e arthur

Quem viu o tratamento cordial entre o prefeito de Manaus e o governador do Estado durante a posse do desembargador Délcio Santos pode ter achado que ambos reataram a amizade. Tudo, porém, não passou de mera formalidade. Arthur Neto (PSDB) e Amazonino Mendes (PDT) seguem em clima de guerra fria por causa da Eleição 2018. Para ter poder de fogo, o tucano exige R$ 100 milhões do Estado para, em tese, asfaltar ruas. A gestão estadual quer ela própria conduzir as obras. Tanto que a Seinfra já está com o projeto no forno.

Caldeirão O clima na Assembleia Legislativa do Estado (ALE/AM) volta a esquentar esta semana com a votação dos vetos do governador a propostas de reajustes a servidores públicos.

Timing A oposição se apressa em discutir o veto ao reajuste da PM, que chegou na ALE/AM semana passada, mas a Mesa Diretora da Casa até hoje não levou à votação a mensagem com veto ao reajuste para servidores da Saúde, cuja comunicação chegou à Assembleia há quase 35 dias. 

Isonomia No caso do aumento para a Saúde, um trecho da lei que traz as reposições salariais foi vetado pelo governador em exercício e presidente do TJ/AM, Flávio Pascarelli. Já o da PM tem a rubrica de Amazonino Mendes.

Pauta De acordo com o deputado Serafim Corrêa (PSB), “serão votados os três vetos” na quarta-feira, se referindo às propostas que contemplam o setor de Saúde, a PM e a UEA (que trata do sistema de evolução de carreira dos docentes da universidade). Ele voltou a dizer que o governo age com “irresponsabilidade”.

Contra-ataque O líder da oposição, Dermilson Chagas (PP), acusa do presidente da ALE/AM, David Almeida, de estar “jogando” com o interesses das classes.

Estratégia “Ele deixou de votar o veto da Saúde; o veto da UEA... Podia ter votado há muito tempo, mas quer isso como contrapartida  para negociar com o governo”. Para Dermilson, a discussão sobre o veto da Saúde já caducou, visto que a ALE/AM tinha 30 dias para  derrubar ou manter a decisão do governo.

Arma branca O vereador Wallace Oliveira (Pode) anunciou ontem, durante a sessão da Câmara Municipal de Manaus, que vai propor que a Casa proíba, por meio de lei, que malabaristas façam uso, em semáforos, de objetos cortantes como  facas e terçados.

Intimidação Além do perigo para quem faz uso das faixas de pedestres,  Wallace Oliveira disse já ter presenciado malabaristas tentando arrecadar doações com objetos cortantes nas mãos, “de forma intimidadora”, segundo ele.

Bate e volta Uma investigação aberta pela promotora Marina Campos Maciel, de Tefé, apura se há facilitação do comando do presídio do município para a saída de detentos que, conforme o inquérito aberto,  “saem para praticar crimes e depois retornam ao cárcere”.

Propina A Promotoria de Tefé também determina a instauração de inquérito policial “para apurar se há algum tipo de pagamento para facilitação de entrada de aparelho telefônico de comunicação móvel” na cadeia da cidade, e pede para ter acesso à planta do presídio.