Publicidade
Sim & Não

Ação contra Cavalcante ‘sai da gaveta’

09/01/2018 às 20:47 - Atualizado em 10/01/2018 às 09:03
Show marcos

O processo judicial  em que o ex-presidente da SMTU Marcos Cavalcante, e o vereador Cláudio Proença (PR) são acusados de cobrar propina para o acesso de motoristas ao sistema de transporte executivo entra este ano na fase de instrução. A denúncia foi apresentada  pelo Ministério Público em 2012. Desde lá, quatro juízes se julgaram suspeitos, levando à redistribuição do caso.  As sessões de interrogatório de réus e testemunhas foram, agora, marcadas para datas entre os dias 5 e 22 de março.

Preliminares No despacho em que determinou a instrução do processo, o juiz Genesino Braga Neto rejeitou as preliminares levantadas pelos réus, que questionavam o fato da denúncia ser genérica (sem individualização de condutas).

Quatro réus Além de Cavalcante e Proença, são réus no mesmo processo Júlio de Oliveira Mendes e Venício José de Araújo. Os dois e Proença atuavam como presidentes de cooperativas de transporte coletivo na ocasião dos fatos denunciados. Cavalcante era responsável pela SMTU.

Testemunhas Entre as testemunhas listadas pela defesa estão o ex-deputado estadual Marcelo Ramos e o deputado federal Carlos Souza.

A partir de agora, o conteúdo das colunas Sim & Não e Pinga Fogo é exclusivo para assinantes de A Crítica, tanto da versão impressa quanto digital. Acompanhe diariamente as melhores coberturas, leia o Sim & Não, confira o Sobe e Desce, e ainda ganhe descontos nos melhores estabelecimentos da cidade com o A Crítica Premium. Conheça as opções de assinatura, a partir de R$ 9,90/mês e fique por dentro desta e de outras notícias: https://assinante.acritica.com.