Publicidade
Sim & Não

‘Acerto’ definiu obra na Arena da Amazônia

17/11/2016 às 21:20
Show arena valendo033

A construção da Arena da Amazônia fez parte do “acerto” entre empreiteiros que decidiram lucrar com as obras da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. O conluio com o objetivo de fraudar licitações se deu em 2007, conforme registrou Clovis Primo, ex-executivo da Andrade Gutierrez, ao MPF/RJ. “Em decorrência do acerto (com a Odebrecht), a Andrade Gutierrez venceu as licitações para a construção de estádios em Brasília e Manaus”, afirmou ele, em delação premiada. 

Queda   As declarações do ex-executivo fazem parte do quebra-cabeça montando pelo Ministério Público Federal, PF e Justiça Federal para prender o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

Esquema   Há tempos que a imprensa nacional vem divulgado trechos de delações premiadas que complicam ex-governadores. Ontem, o resultado dessas revelações  surtiu os primeiros efeitos, na prática.

Reticência  O projeto lei de autoria do vereador Ednailson Rozenha (PSDB), que proíbe o serviço ‘flanelinhas’ na capital, começa a perder fôlego na Câmara Municipal de Manaus (CMM). Muitos parlamentares até apoiam a proposta, mas ainda avaliam a repercussão social se a norma for aprovada.

Reflexão Diante da possibilidade de demissões de cobradores de ônibus, os vereadores avaliam que proibir o serviço de flanelinhas, nesse momento, servirá apenas para entornar o caldo.

Alto lá Aliás, sobre o tema “cobradores de ônibus”, o titular da SSP/AM, Sérgio Fontes, diz que jamais sugeriu a demissão dos funcionários para não haver mais pagamento em dinheiro nos coletivos. “O tema sequer foi discutido e já está sendo analisado de forma radical por alguns setores. Isso é lamentável”, afirma.

 Sugestão Sérgio Fontes sustenta que em seu ofício enviado ao MP, ele pede que o órgão faça a intermediação do debate. “Se a gente continuar insistindo só em operações, só em polícia, nós não vamos resolver o problema, por isso, fizemos essa sugestão para que o assunto seja discutido e analisado. Com a garantia do Sinetram e com a garantia talvez do Ministério Público de que não haverá demissões”.

De novo O Supremo Tribunal Federal (STF) deixou para o dia 23 de novembro o julgamento que definiria se o Fisco Federal tem razão em cobrar IPI nos produtos negociados pela Zona Franca de Manaus. A votação já dura mais de três anos e, até agora, três ministros votaram em favor do entendimento da Suframa.

Mudanças 1 Decreto assinado pelo presidente Michel Temer, publicado ontem no Diário Oficial da União (DOU), instituiu o Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF) e tem efeito direto nas operações Ágata, realizadas pelo Ministério da Defesa no interior do Amazonas e outros Estados. 

Mudanças 2 A norma estabelece um outro modelo de atuação das Forças Armadas nos 16.886 quilômetros de fronteiras do Brasil com os países sul-americanos. Um dos objetivos do decreto é “aprimorar  a  gestão  dos  recursos  humanos  e  da  estrutura destinada  à  prevenção,  ao  controle,  à  fiscalização  e  à  repressão  a delitos  transfronteiriços”.