Publicidade
Editorial

Acumulação de problemas na cidade

21/06/2017 às 21:48 - Atualizado em 21/06/2017 às 23:28
Show  gua03333

Seis meses após a posse dos eleitos no ano passado, a população de Manaus não consegue ver resolvidas ou pelo menos atenuadas questões que se arrastam  nos últimos anos e ampliam problemas. Quatro deles são recorrentes: interrupções no fornecimento de água e de energia, buracos nas ruas e a precariedade do sistema de transporte público. As dificuldades nessas áreas não podem ser tributadas unicamente a atual gestão municipal compreendendo o período anterior dela e o iniciado no mês de janeiro. São falhas na oferta desses serviços que se repetem e se tornam mais profundas a cada ano atingindo um maior número de pessoas.

O que está em questão na atualidade é a falta de informações objetivas que esclareçam os moradores da cidade quanto as ações que estão sendo feitas, onde estão sendo feitas e  quais os valores e prazos dessa realização.  O retrato maior de Manaus revela uma cidade em estado de abandono com algumas poucas áreas onde é possível perceber a presença da gestão pública. Infelizmente, são lugares mais restritos e que tradicionalmente têm sido os preferidos dos gestores que se alternam na prefeitura. A cidade é bem maior e enfrenta situações graves na maioria dos bairros onde operações de recuperação de ruas, becos, praças, calçamento e as poucas áreas verdes restantes tornaram-se raras.  Não é diferente o problema das ruas e avenidas de acesso nas zonas Leste, Norte, Sul, Centro-Sul, e parte da Oeste.

A combinação desse quadro de descaso na realização dos serviços, do alto valor pago pelos moradores e da ausência de uma fiscalização mais firme gera na população sentimento de revolta. Da Câmara Municipal que tem no acompanhamento das ações do Executivo uma de suas funções básicas não são emitidos sinais de que percebe e faz cobrança aos gestores municipais.  O assunto mais valorizado é o da possível eleição este ano para o governo tampão, como se a vida de aproximadamente três milhões de pessoas não tivesse importância ou pudesse ser deixada para depois. Todos os dias, os moradores de Manaus necessitam de água, de iluminação pública, expressiva parcela tem no transporte público o principal meio de locomoção, e outra utiliza veículos próprios ou serviço de táxi. Todos, numa condição ou noutra, enfrentam os buracos nas ruas da cidade, a violência cotidiana. Os prejuízos se acumulam e as respostas de solução não aparecem.