Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020
Editorial

Ampliação do papel da escola


escola_E8C5DAC1-0710-44C4-AE95-0793A9890B86.jpg
19/09/2020 às 08:22

A abertura de consulta pública no Amazonas para acrescentar conteúdo regional à nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o Ensino Médio é boa oportunidade para enriquecer e regionalizar as temáticas ensinadas nas escolas do Estado. Inicialmente, as disciplinas História e Geografia do Amazonas terão carga horária aumentada para abranger aspectos locais pouco explorados, como cultura regional, povos indígenas, cultura afrobrasileira e a própria realidade do universo amazônico. No que diz respeito à biologia, há muito para ser explorado em relação a nossa rica biodiversidade. Por outro lado, no que tange à carga horária complementar, em que o aluno poderá escolher suas próprias atividades, pode-se discutir a oferta de cursos técnicos e empreendedorismo mais relacionados ao contexto local.

É também oportunidade para ampliar a participação da escola na formação de cidadãos antenados com o mercado de trabalho local. Será possível aprender na escola conteúdos que preparem os estudantes para atuação nas indústrias da Zona Franca de Manaus, por exemplo. A carência de mão de obra qualificada é uma eterna queixa dos gestores das indústrias locais. Por outro lado, a escola também pode ter papel mais decisivo no estímulo ao empreendedorismo, sobretudo no que diz respeito a negócios em setores estratégicos com eterno potencial pouco explorado, como é o caso do turismo em suas diferentes vertentes.

A consulta pública sobre o novo currículo do ensino médio no Amazonas ficará aberta na internet para receber contribuições da sociedade por 30 dias. Professores, gestores, técnicos, estudantes de licenciatura e sociedade civil de maneira geral podem e devem participar da consulta. A hora de se manifestar e apresentar contribuições é agora; parte das mudanças já entra em vigor no próximo ano. Depois, não adiantará se queixar dos conteúdos programáticos do ensino de nível médio.

Participar da elaboração da Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio é também um exercício democrático, a chance de contribuir com algo que terá repercussão gigantesca na formação dos futuros adultos, as pessoas que, dentro de alguns anos estarão ingressando no mercado de trabalho e assumindo seu papel no desenvolvimento do País.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.