Publicidade
Sim & Não

Anúncio de Artur tratado como piada

23/09/2017 às 19:40 - Atualizado em 23/09/2017 às 19:42
Show 37249794081 a71de39180 k

A cortina de fumaça que o prefeito de Manaus, Artur Neto, jogou sobre os problemas da capital, ao tentar mudar o foco em torno de temais locais e lançar-se candidato à Presidência, não teve a repercussão esperada pelo tucano. Ao contrário, o tema foi tratado como galhofa por boa parte da população, que, nas redes sociais, passou a cobrar as dezenas de promessas não cumpridas por Artur, imediatamente após a entrevista à Veja, em que ele reivindica ser o candidato do PSDB para comandar o Brasil.   

Truque   Observadores da cena política registram que Artur sagrou-se  especialista em mudar o foco para eximir-se de responsabilidades. Disparou artilharia contra Dilma Rousseff durante anos  e, posteriormente, contra José Melo, a fim de justificar a ineficiência na gestão. Até se aliar a Eduardo Braga, em 2016, fazia os mesmos ataques ao peemedebista. 

Embuste   Logo que assumiu, Artur sustentou por um ano que o antecessor havia deixado um “rombo” de R$ 300 milhões, o que prejudicava investimentos. Em 2014, o TCE/AM aprovou as contas de Amazonino Mendes e comprovou que não houve rombo. Ao contrário, ele deixou para o tucano  um superávit de R$ 74,2 milhões.

Cerco   A Assembleia Legislativa do Estado (ALE/AM) lançou uma campanha interna contra a agiotagem, mas não sem motivo. A prática tem sido uma constante na Casa e vem “escravizando” funcionários, especialmente os mais antigos.  

Orientação   Além de uma palestra sobre o tema, proferida por um procurador da Assembleia, a direção do Poder mandou espalhar  cartazes com o seguinte alerta: “Agioatagem é crime contra a economia popular”. Os servidores estão orientados à denunciar a prática à Procuradoria-Geral.  

Problema   Internamente, comenta-se que se os funcionários da ALE/AM, presos a agiotas, cumprirem a orientação e realmente forem denunciar a prática, vai sobrar para deputado. 

Causa  O presidente do TRE/AM, desembargador Yedo Simões, vai a  Brasília pleitear R$ 1,5 milhão para apoiar o projeto Amazônia Conectada, do Exército Brasileiro -  que está levando Internet a municípios do interior via fibra ótica,  o que permitirá uma conexão em banda larga, facilitando o trabalho do judiciário. 

Iniciativa   Profundo defensor do uso das novas tecnologias a serviço da Justiça (quando Corregedor do TJ/AM, ele  implantou a virtualização dos processos), Yedo Simões já conseguiu outros R$ 1,5 milhão junto ao TSE para o projeto do Exército. Com mais esse recurso, a Justiça Eleitoral será o maior apoiador do programa. 

Debate O defensor público Carlos Alberto Almeida encabeça uma discussão, que será feita em audiência pública, na próxima quinta-feira (28), sobre a polêmica cobrança da taxa de esgoto embolsada pela Manaus Ambiental, sem a contraprestação do serviço.  

Controvérsia  Carlos Alberto chama a atenção para um fato curioso: apesar da cobrança da taxa de esgoto, os igarapés seguem sendo poluídos. O defensor público convidou diversos órgãos  para debaterem o problema, entre eles a Prefeitura, a Câmara Municipal de Manaus, a Arsam, a Comissão de Defesa do Consumidor da ALE/AM, o Procon, o MPE e o MPF.