Publicidade
Sim & Não

Ao explicar aliança PSDB-PMDB, Artur e Rota dão como certo o impeachment de Dilma

29/08/2016 às 20:17 - Atualizado em 29/08/2016 às 20:36
Show artur e rotta

No terceiro dia de propaganda eleitoral na TV, Artur Neto e Marcos Rotta dão como certa a efetivação do governo de Michel Temer (PMDB) e o impeachment de Dilma Rousseff (PT), e por isso, dizem, a aliança improvável dos dois “começa bem” porque os aproxima do governo federal, em caso de vitória. O tucano e o vice usaram os três minutos que têm direito na televisão para explicar aos eleitores um dos pontos mais sensíveis da campanha deles, que é a aliança entre o Artur  e o PMDB de Eduardo Braga. 

Sem vocação...  

Marcos Rotta afirmou no programa de ontem que se engana quem pensa que ele será um vice decorativo de Artur. 

...pra ser Temer  

No final de 2015, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) enviou uma carta a Dilma reclamando que nos primeiros quatros anos de governo não passou de um “vice decorativo”.


Companheira  

Com a participação de Vanessa Grazziotin (PCdoB), o impeachment de Dilma também ocupou espaço importante na propaganda desta segunda, 29, do candidato do PT, José Ricardo. O político defendeu a permanência da presidente no cargo no 1m28s que tem direito na TV.

Por primeiro...

Com o mandato de vice-governador cassado no TRE-AM, e aguardando confirmação ou não no TSE, Henrique Oliveira (SD) é o primeiro candidato a prefeito de Manaus a ter o registro de candidatura aprovado pela Justiça Eleitoral. O registro foi liberado ontem.

...rir melhor

Sem perder tempo, Henrique foi à forra com os demais candidatos a prefeito, que até o final do dia de ontem continuavam com seus registros travados no TSE. Ouça o áudio de entrevista do político à coluna no acritica.com.

Negligente  

O deputado estadual Luiz Castro (Rede) afirma que sem estabelecer penalidades às infrações que podem ser cometidas na implantação de projetos de criação de peixes no Estado, o novo Projeto de Lei 166/2016, que regulamenta a aquicultura no Amazonas, é omisso e inócuo.


Convencido

Dizendo-se convicto de que a presidente Dilma Rousseff (PT) é culpada, o senador Omar Aziz (PSD) justificava ontem que por isso não quis se inscrever para fazer questionamentos à petista, que foi interrogada por senadores na sessão do impeachment, no Senado.

Pela obra  

Outrora aliado dos governos do PT, Aziz se diz convicto da culpa de Dilma “desde o primeiro momento” em que o processo de impeachment foi aberto. “O conjunto da obra é fatal para ela”, afirmou o senador pelo Amazonas à coluna.

Retraído

Outro que fugiu dos holofotes na sessão do Senado ontem, mas que já indicou que votará pelo impeachment foi Eduardo Braga. Sequer estava no plenário durante o discurso de Dilma. Apareceu à tarde.


Fã 1

Da bancada do Amazonas, apenas a senadora Vanessa Grazziotin se inscreveu para fazer questionamentos a Dilma. Mas se ateve mais em elogiar a petista. 

Fã 2

Vanessa chamou bastante atenção nos bastidores do Senado. Com o entusiasmo em fazer selfies com a presidente e tietar Chico Buarque de Holanda, um dos convidados na plateia de apoiadores de Dilma.