Publicidade
Sim & Não

Após ‘pito’, Semsa fará concurso

14/12/2016 às 22:00
Show homero0333

O secretário municipal Homero de Miranda Leão (Saúde) promete fazer concurso em 2017 para substituir servidores temporários. Segundo o TCE-AM, a Semsa foi o órgão do município que mais contratou sem concurso em 2015. O excesso foi alvo de críticas dos conselheiros no julgamento das contas do prefeito Artur Neto (PSDB). Segundo o secretário, se as contratações não fossem feitas, o município teria dificuldade em manter serviços como Samu e Maternidade.

Conta não fecha   “A contratação se deu em função do número de candidatos aprovados no concurso realizado em 2012 ter sido inferior à quantidade de vagas estabelecidas no edital”, justificou Homero.

De mão em mão   Artur Neto tem marcado reuniões para avaliar suas secretarias, mas na hora H escala o vice Marcos Rotta (PMDB) para sabatinar os secretários. Com a Semed, até Eduardo Braga (PMDB) teria participado.

Choque de ideias  Quem teve acesso aos bastidores da reunião, conta que a titular da Semed, Kátia Helena Schweickardt, não gostou de ouvir Rotta fazer ressalvas sobre a política de instalar escolas em prédios alugados. A assessoria da secretária informou não saber da reunião.

Pra toda obra   Evilázio Pereira, irmão do deputado federal Alfredo Nascimento (PR), é um dos secretários “mais dedicados” de José Melo (Pros). Quem faz a avaliação é o próprio governador, quando questionado sobre a participação do irmão do deputado no governo dele.

Digitais   Em 2014, quando Alfredo declarou apoio à reeleição de Melo e à eleição de Omar Aziz (PSD) ao Senado, Evilázio foi nomeado secretário-executivo na Casa Civil. Continua lá, atuando como uma espécie de “supervisor de projetos especiais”.

 De pés juntos    Falando em Melo, o governador admite que sua base na ALE-AM não pensa em outra coisa a não ser na eleição para a presidência da Casa. Ele jura que não ter candidato. “Os quatro que disputam são meus amigos”, declarou à coluna.

Pioneiro  Ao lamentar a morte do diretor-presidente da Rede Amazônica, Phelippe Daou, o governador lembrava, ontem, que o empresário foi um dos primeiros a enfrentar os paulistas na defesa da Zona Franca de Manaus.

Como é?  A diretoria do Sindicato dos Fazendários do Amazonas (SIFAM) não gostou nada de saber que o governo assumiu compromisso com o governo federal de aumentar a contribuição previdência dos servidores estaduais.

Vem pra rua  Em reação, o SIFAM faz campanha junto aos demais sindicatos para pressionar o governo a garantir assento aos servidores nas discussões. A primeira reunião ocorre hoje. A União colocou como condição para avalizar empréstimos aos governadores a revisão das alíquotas da contribuição previdenciária.

Homeopáticas A ideia de mexer na contribuição previdenciária também não agrada o governo. Isso porque a previdência no Amazonas, em comparação com os demais estados, não está no vermelho, ainda. Assessores da Fazenda propõem que aqui a mordida nos salários cresça aos poucos.