Domingo, 05 de Dezembro de 2021
Editorial

As perguntas e o relatório final da covid-19


imagem_materia_512226BC-F5D4-45A7-8B35-66CFB1F78B54.jpg
26/10/2021 às 06:46

A votação, marcada para esta terça-feira (26), do relatório final da CPI da Covid-19 é aguardada com expectativa pela sociedade brasileira e pelo mundo. Qual será o espectro do documento? Quem serão os indiciados? Quais expressões irão nominar as condutas governamentais e de demais servidores públicos? O que deverá ocorrer com o relatório?

Mesmo sem a CPI da Covid-19, estava e está evidente que uma série de condutas foi seguida no sentido de retardar o tratamento adequado, preparar a rede pública de saúde para lidar com a pandemia e promover esclarecimentos. Do discurso presidencial da “gripezinha” ao caos instalado em nível nacional e, de forma particular, no Estado do Amazonas onde pessoas morreram por falta de oxigênio.

O capitulo do kit-Covid é uma das aberrações da pandemia. Médicos e não médicos passaram a receitar, em larga escala, medicamentos utilizados em outras doenças e não autorizados pelas autoridades em saúde tanto internacional quanto nacional. Condutas negacionistas auxiliaram na ação de espalhar o kit, desencalhar alguns dos itens dos medicamentos desse pacote descarregados pelo governo norte-americano na gestão Trump para o governo brasileiro, como a cloroquina, e desqualificar o uso de máscara como medida preventiva, incentivando a não observância da medida.

No item vacina, o governo brasileiro retardou muito as conversações para adquirir lotes de vacinas e colocar o medicamento à disposição dos brasileiros. Ocorreram muitas quedas de braço internas até o País receber a primeira remessa das vacinas e a partir desse momento fazê-las chegar às cidades até alcançar os braços da população. Há ainda muita controvérsia e muitos acordos feitos que apontam a atos de improbidade administrativa envolvendo as negociações por vacina.

Quanto as aparições de autoridades públicas, do presidente da República a ministros, diretores, parlamentares da base de apoio ironizando pacientes, os que perderam entes queridos e os que defendiam o uso de máscara e a vacina foram tantas que somente esse capítulo já merece atenção e indiciamentos.

O Brasil com mais de 605 mil mortes por Covid-19 é um dos países que mais padeceu nessa pandemia e, em parte, esse sofrimento está diretamente vinculado à forma como governo federal conduziu o enfrentamento ao quadro pandêmico. Considerando a média populacional, é um dos países onde mais pacientes morreram vítimas do novo coronavirus. Não foi porque “tinha que acontecer”, há omissão governamental expressa nessa terrível experiência.       

 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.