Publicidade
Editorial

Basta de violência

27/11/2016 às 18:55
Show pm encontra mulher chorando ao lado de bebe apos ser surrada g 13052016 193317

Na semana passada, foi aberta em Manaus a campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”. Em pleno andamento da campanha, crimes violentos contra mulheres continuam a indignar a cidade. No dia seguinte ao lançamento da iniciativa, a dona de casa Vanderlice Aragão de Araújo, 25, foi morta com 79 golpes de faca. O caso parece a repetição de tantos outros que ocorrem frequentemente: a mulher decide se separar, o companheiro não aceita o fim do relacionamento e comete o crime. No caso de Vanderlice, o corpo dela foi encontrado na garagem da casa do autor, no bairro São Raimundo, Zona Oeste. O ex-companheiro, identificado como  Jesse James Souza, está foragido. No mesmo dia em que Vanderlice perdeu a vida, outra jovem, ainda não identificada, também foi vítima de violência, ao ser estuprada e assassinada nas matas da Universidade Federal do Amazonas. O corpo dela só foi encontrado no domingo e aguarda identificação no Instituto Médico Legal.

Esses dois casos ilustram os tristes e preocupantes índices de violência contra a mulher no Amazonas.

De acordo com o Mapa da Violência de 2015, o número de mulheres assassinadas no Amazonas cresceu 174,3% de 2003 a 2013. A taxa de homicídios de mulheres para cada 100 mil habitantes do Amazonas foi a sexta que mais cresceu em todo o País. Já a pesquisa “Estatísticas do Registro Civil 2015” atesta que, nos últimos dez anos, o Estado registrou aumento de 171,4% nos óbitos violentos de mulheres.

A campanha dos “16 dias”, que termina no dia 10 de dezembro, é uma boa iniciativa da Secretaria Executiva de Política para Mulheres (SEPM) da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), mas ainda é pouco diante da escalada da violência contra mulheres em nosso Estado. São necessárias ações mais contundentes e coordenadas entre si. A sociedade precisa abraçar esta causa e não mais tolerar atos como os que vitimaram Vanderlice e tantas outras. A “cultura da violência” precisa ser banida para sempre. E um importante passo rumo a esse objetivo seria a punição dos criminosos na forma da lei. Não podemos achar normal a banalização do crime. A agressão às mulheres não é um problema “de casal”, que só diz respeito aos dois. É uma questão de justiça que diz respeito a todos.