Publicidade
Sim & Não

Briga por presidência mina base

29/11/2016 às 21:41
Show img0017387422

A derrota do governo em votação de matéria sobre o uso de verbas de fundos estaduais, ontem, é sinal de como a briga pela presidência da ALE-AM está rachando a base de José Melo (Pros).

Sob pressão de opositores e governistas, o líder do governo, David Almeida (PSD), não conseguiu apoio suficiente para aprovar o texto, sendo obrigado a retirá-lo da pauta. Melo precisa do aval da Casa para continuar usando verbas de fundos como o FTI e FMPES no custeio da máquina.

No papel   Oficialmente, os fundos foram criados para investimentos, principalmente no interior. Na prática, têm sido usados no custeio da máquina. Sem previsão de recuperação da economia, o governo quer continuar contando com o socorro dessas verbas.

Conjuntura  O secretário estadual Afonso Lobo (Fazenda) diz que a necessidade de desvincular os recursos do FTI e FMPES é mais um dos reflexos da crise.

Até melhorar  “Do orçamento geral do Estado, só cerca de 10% podem ser utilizados de forma  discricionário. Os demais recursos estão vinculados a sua destinação, por isso que é absolutamente fundamental manter a desvinculação destes fundos enquanto perdurar a crise”, defende Afonso.

Ciclista  No ápice da discussão da matéria, o deputado de oposição José Ricardo (PT) acusou o governador de “pedalar” até onde pode com recursos dos fundos estaduais.

Campanha   A CPI da Afeam é outro tema que alimenta a briga entre os grupos interessados no comando da ALE-AM. Para ganhar a simpatia da oposição, o pré-candidato a presidente Belarmino Lins (Pros) acusa abertamente os colegas da Mesa Diretora de quererem retardar a investigação.

Quem não chora  Após mobilização nas galerias da ALE-AM, pais de alunos de escolas administradas pela PM conseguiram agendar uma reunião com deputados da comissão de Educação da Casa hoje, às 9h.

Queda de braço  O Ministério Público Estadual (MPE) quer impedir que as escolas cobrem dos pais de alunos taxas consideradas abusivas. Os pais dizem que preferem pagar, uma vez que os comandantes que administram as escolas alegam que sem dinheiro as unidades fecham.

Memória...  Quem conhece a militância de Lourivaldo Rodrigues para tirar a obra do HUGV do papel, estranhou a falta de crédito ao médico nos discursos das autoridades durante a inauguração da 1ª etapa da obra, semana passada.

...curta  Lourivaldo dirigiu o HUGV até 2014, quando decidiu entregar o cargo após brigar com a reitora da Ufam, Márcia Perales. O atual gestor do hospital é Rubem Alves Júnior, que era vice de Lourivaldo.

Atrasados  A Universidade do Estado do Amazonas começou a pagar as bolsas de monitoria que estavam atrasadas desde julho. O valor do repasse representa quase R$ 2 milhões.

Às claras  O reitor Cleinaldo Costa tem postado no seu perfil do Facebook a informação sobre os repasses. Nas postagem, ele divulga planilhas com o detalhamento dos valores e respectivas datas.