Publicidade
Sim & Não

‘Calote’ em prestadores de serviços pode virar escândalo

22/02/2017 às 21:57
Show 1197571

Sem aparecer na prestação de contas da campanha do prefeito reeleito de Manaus, Artur Neto (PSDB), um grupo de prestadores de serviços que atuou na eleição do tucano está disposto a ir até as últimas consequências para receber pelo trabalho que não foi remunerado. A questão, levada ao conhecimento  do Judiciário e da imprensa como está planejado, ganhará ares de escândalo, já que os gastos não constam nas informações oficiais repassadas ao TRE/AM. 

Caixa 1  

Na prestação de contas oficial que consta no site da Justiça Eleitoral, a campanha do prefeito Artur Neto aparece com uma dívida de quase R$ 3 milhões. Recebeu R$ 4,3 milhões de doações mas gastou R$ 7,2 milhões

Reação

O governador José Melo (Pros)  está disposto a mostrar para qual ralo vai parte do dinheiro arrecadado pela Prefeitura de Manaus. Citou, por exemplo, o aluguel milionário de escolas e alfinetou: “o governo do Amazonas não aluga prédios, constrói escolas”, disse, ontem, durante a reinauguração do Centro Cultural Thiago de Mello.

Enredo

Já o vice-governador Henrique Oliveira, presente na reinauguração, também aproveitou o ensejo e usou o microfone para dedicar um samba ao prefeito e cutucar o recente reajuste do valor da tarifa de ônibus. “Você pagou com traição a quem sempre te deu a mão”, cantou Henrique para o público.

Destaque

O titular da Secretaria de Estado da Fazenda, Jorge Jatahy, classificou ontem  o aumento da passagem de ônibus de “Tarifa Picanha” porque, segundo ele, “vem com muita gordura”. “Se eu fosse o capitão Nascimento, eu diria que o prefeito é um fanfarrão”, provocou.

Polêmico

O deputado estadual Wanderley Dallas (PMDB) causou um alvoroço nas redes sociais. Tudo porque apresentou um projeto de lei que obriga a apresentação de documento com foto nas recepções de motéis e pousadas em todo o Estado.

Argumento

Clientes assíduos de motéis reclamam que a proposta de Dallas acaba com a privacidade. O parlamentar sustenta que quer apenas proteger crianças e adolescentes e combater o crime de abuso e exploração sexual.

Polêmico

Enquanto o pai, deputado estadual Sabá Reis (PR) defendia ontem o governo na Assembleia, e justificava o fim do subsídio às empresas de ônibus, o filho, David Reis (PV) dizia na Câmara que o Estado deveria voltar atrás na decisão e conceder novamente os benefícios.

Polêmico

O Ministério do Turismo se comprometeu em gastar R$ 20 milhões na divulgação da Amazônia Legal. A ideia a promover uma campanha de nível nacional e internacional para divulgar a região. A medida atende a um pedido feito pelo Fórum das Secretarias de Comunicação da Amazônia Legal.

Polêmico

De acordo com a secretária nacional de Qualificação e Promoção do Turismo, Teté Bezerra, o ministro do Turismo, Marx Beltrão, determinou que a campanha seja concebida e finalizada até maio, de modo a ser apresentada no 14º Encontro de Governadores da Amazônia Legal, que deverá ser realizado em Rondônia.