Publicidade
Sim & Não

Chefe de partido no Amazonas está na cadeia

30/05/2018 às 21:20
Show carlos lacerda

Foi para “investir tempo” na defesa da Zona Franca de Manaus (ZFM) que o sindicalista Carlos Lacerda argumentou ter tomado o comando do Solidariedade das mãos do vice-governador Bosco Saraiva. A justificativa foi dada por Lacerda ao SIM&NÃO um dia antes dele ser preso pela PF na Operação Registro Espúrio. A investigação apura corrupção no seio da Executiva Nacional do Solidariedade e do PTB. Sabe-se, agora, que a mudança de comando no SD estadual tinha outros objetivos. 

Nicho Em entrevista à coluna, Carlos Lacerda informou que disputaria uma vaga na Câmara Federal pelo Solidariedade do Amazonas e que precisava ficar à frente do partido porque queria atuar na proteção das empresas do PIM. “Todo mês tem uma regra nova”, disse, se referindo aos incentivos fiscais.

Sonho Lacerda também expressou o desejo de ocupar o mesmo espaço do deputado federal Pauderney Avelino (DEM) na defesa da ZFM. Pauderney será candidato ao Senado e deixará a Câmara Federal se ganhar ou se perder.

Anzol  Jogado na terça-feira para a vice-presidência do SD a mando da Executiva Nacional do partido, Bosco Saraiva voltou ao comando absoluto da sigla 24h depois, já que o novo presidente da legenda no Amazonas está na cadeia.

Crítica A colunista de economia da rádio CBN, Miriam Leitão, incentivou os candidatos à Presidência a rever os incentivos dados à Zona Franca de Manaus. O comentário se deu ao questionar o  ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, sobre de onde sairão os recursos para bancar a redução do imposto sobre o diesel.

Do contra “As despesas tributárias (do País), esses gastos com descontos de imposto – incluindo todos os programas, como a Zona Franca de Manaus –, têm um custo de quase de R$ 300 bilhões por ano no Brasil”, disse Miriam. “O próximo governo, inclusive, deveria trabalhar em cima disso. É um conselho para os candidatos: estudar bastante isso, porque em alguns casos não se justifica que seja concedido e eternizado o benefício”.

Irritado O vereador Plínio Valério (PSDB) classificou como “idiotas” os manifestantes infiltrados na greve dos caminhoneiros favoráveis ao retorno dos militares ao governo brasileiro.

Insensatez “Só quem não ama a liberdade defende o regime militar”, disse Plínio Valério em discurso na tribuna da CMM, na manhã desta quarta-feira.

Lembrança 1 O novo porto de Itacoatiara, que será inaugurado no próximo dia 16 de junho, receberá o nome do engenheiro Antônio Nelson de Oliveira Neto, um entusiasta do transporte fluvial falecido em 1999, após sofrer um acidente automobilístico. O Projeto de Lei nº 10.323 que confere a homenagem foi apresentado nesta terça-feira (29) pelo deputado federal Alfredo Nascimento.

Lembrança 2 Nelson Neto, como era conhecido, foi por vários anos diretor do Porto de Manaus e das hidrovias. Alfredo destacou que o homenageado sempre lutou pelo desenvolvimento de Itacoatiara e marcou sua trajetória como um defensor intransigente do transporte hidroportuário.