Publicidade
Sim & Não

Confronto entre poderes é iminente

01/02/2018 às 20:42 - Atualizado em 01/02/2018 às 21:20
Show amazonino am

A sessão que marcou a abertura dos trabalhos da  Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE/AM), ontem, mostrou, nas entrelinhas, que a relação entre os poderes Executivo e Legislativo será de confronto em 2018. Ao tratar da Mensagem Anual do governo, Amazonino Mendes disse querer “paz”, porém admitiu ser impossível que os poderes sejam “harmônicos”. Mas agradeceu ao Judiciário pela ajuda ao governo. Ao queixar-se das “politiquices”, ele engatilhou: “Águia não captura moscas”. 

Disparo Durante a sessão, Amazonino também afirmou que procura absorver com serenidade “os insultos, a falta de compostura, as inverdades, as indignidades”, que, segundo ele, são fruto da “ambição, da inconsequência e da incompetência” de mentirosos dispostos a “meter vantagens”.

Protocolo Numa postura que não é praxe nas sessões que marcam a reabertura dos trabalhos legislativos, após a fala do governador o presidente da ALE/AM, David Almeida, foi à tribuna e fez uma réplica ao discurso de Amazonino. Anunciou  que os vetos do governo serão analisados.   

Desprezo  David Almeida fez questão de deixar claro que não é “aliado” da gestão estadual, mas prometeu avaliar, caso a caso, propostas que beneficiem a população. Enquanto discursou, sequer recebeu o olhar de Amazonino.

Travoso  Ao chegar ao plenário para compor a mesa de autoridades, o  vice-governador e titular da SSP/AM, Bosco Saraiva (SD), deixou evidente o clima azedo entre o governo e o presidente da Assembleia. Passou pelo parlamentar, mas não o cumprimentou.

Queda de braço  Bosco trava uma luta com a Mesa Diretora da Assembleia para ter mais efetivo na PM. A briga foi parar na Justiça, que mandou suspender o ato que retirava da Casa os 32 policiais excedentes. Ao contrário do Legislativo, poderes como o TJ/AM, o TRE/AM e o TCE decidiram colaborar com o governo e devolveram os PMs em excesso.

Eleições 2018 Durante o evento desta quinta-feira (1), o governador deu a senha sobre a disputa eleitoral deste ano. Segundo ele, o Amazonas não pode ser dirigido por “inexperientes” e políticos “sem qualificação”.

Moral Amazonino ainda destacou no seu discurso a confiança na recuperação do setor da saúde. Para ele, a área tem à frente um dos melhores administradores públicos do País, o secretário Francisco Deodato, que já apresenta bons resultados. “Vamos recuperar a saúde pública. É questão de tempo”, afirmou Amazonino.

Cabra da peste Ao ser informado por Deodato do restabelecimento do serviço de cirurgia geral no hospital da Zona Norte, quando respondia a pergunta sobre o assunto, Amazonino emendou: “Pronto, está resolvido. O ‘home’ é bom demais”.

Complicação A situação do ex-governador José Melo e de sua esposa, a ex-primeira-dama Edilene Gomes, se agrava com a decisão do TRF-1, em Brasília, de mantê-lo encarcerados.

Comando  A defesa de Melo alimentava a esperança de que ambos fossem soltos hoje, já que ex-secretários que estavam presos ganharam o benefício. Conforme a decisão do TRF-1, Melo e Edilene foram os “líderes absolutos” do esquema.