Publicidade
Editorial

Corrupção sem limites

01/01/2018 às 21:21
Show corrup ao

A teia de corrupção que tomou conta da saúde no Estado do Amazonas parece revelar tentáculos cada vez mais longos. Ao que tudo indica, o sistema de desvio de recursos públicos era muito mais sofisticado e complexo do que se imaginava, com uma intrincada rede de agentes que se beneficiavam do esquema ainda não totalmente esclarecido às custas do sofrimento das pessoas que precisam do sistema público de saúde para obter tratamento digno.

Desta vez, os olhos da Justiça se voltam para os conselhos de saúde, órgãos criados exatamente para garantir a participação popular no desenvolvimento e aplicação de políticas voltadas para a saúde pública, bem como fiscalizar a correta aplicação dos recursos financeiros. Um esquema da magnitude do que foi descoberto nas operações Maus Caminhos, Custo Político e Estado de Emergência dificilmente poderia ter tido êxito por tanto tempo sem a participação dos conselhos de saúde. O Ministério Público, em ação civil contra esses órgãos, enumera os indícios de omissão por parte dos referidos órgãos.

Pior que isso, os conselheiros, segundo a denúncia, se beneficiavam de propinas - inclusive mensalinhos, além de promover contratos da área de saúde com empresas dos próprios conselheiros.

Ressalte-se que se trata de indícios. Não se pretende condenar ninguém sem o devido processo legal. O que se espera é que a Justiça atue de forma célere para que este cenário seja esclarecido o mais rápido possível. O Amazonas precisa, há muito tempo, de transparência na saúde pública, com recursos bem aplicados e que se revertam em serviços de alta qualidade. Impossível não imaginar como seria o sistema de saúde do Estado se todos os milhões desviados tivessem sido aplicados em melhorias no sistema. Pacientes certamente não morreriam em filas vergonhosas por cirurgias, aguardando resultados de exames que nunca seriam feitos. É revoltante saber que enquanto as pessoas morrem, um grupo de corruptos enriquecia da noite para o dia, colhendo os frutos de sua atividade criminosa. Esperamos que as recentes operações contra os desvios na saúde façam parte de um processo irreversível de moralização no Amazonas, para que o povo tenha serviços da qualidade que merece.