Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020
Editorial

Cuidados redobrados


share_big_WhatsApp_Image_2020-07-16_at_10.34.44_A3C048DB-55DA-47C5-B74D-C176E03D20BC.jpeg
25/09/2020 às 08:34

A decisão do governo do Amazonas de suspender o funcionamento de bares, flutuantes, balneários, casas de show e aluguel de sítios por 30 dias levou em conta a tendência de aumento de casos de Covid-19 nas últimas semanas. Ao mesmo tempo, o governo manteve a retomada das aulas presenciais em parte da rede estadual de ensino, com reforço de medidas de segurança, como sabão nas pias, álcool gel e medição de temperatura dos estudantes. Não resta dúvida de que abrir escolas é mais importante que bares.

É fato que locais como balneários, postos de gasolina e casas de shows têm sido palcos de aglomerações intensas nos últimos dias, principalmente nos finais de semana, o que pode ter relação direta com o aumento no número de casos de covid-19. Parte da população parece acreditar que a pandemia já acabou, que o perigo já passou e que a vida já pode voltar a ser vivida como se não houvesse amanhã. Todos gostaríamos que isso fosse verdade, mas as estatísticas e o índice de ocupação das UTIS indicam conclusão diferente.

Os números são preocupantes e o risco de uma segunda onda existe. Na última quarta-feira, a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) confirmou 17 novos óbitos pela doença e 298 pessoas estavam internadas. No mesmo dia, a Prefeitura de Manaus registrou 40 sepultamentos e cinco óbitos em domicílio, números no limite superior da média histórica.

Mais do que nunca, precisamos de conscientização a respeito do perigo que a pandemia ainda representa. Vivemos em um País onde, para manter o distanciamento social em face de uma pandemia, é preciso editar decretos governamentais; e mais que isso, é certo que será preciso colocar a polícia nas ruas para que as determinações – que visam a segurança e a saúde de todos – sejam cumpridas. Provavelmente, assistiremos nos próximos 30 dias – período de vigência das proibições – um festival de eventos clandestinos promovendo aglomerações de irresponsáveis, negacionistas e insensatos.

É a pandemia revelando alguns dos piores aspectos das pessoas. Mas também revela o que há de bom: solidariedade, resiliência e respeito por parte daqueles que escolhem se proteger, cuidando de si mesmos e dos outros também.
 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.