Publicidade
Sim & Não

David Almeida entre o ‘querer’ e o ‘poder’

28/05/2017 às 19:41 - Atualizado em 28/05/2017 às 19:42
Show show img0017351386

O governador David Almeida (PSD) acredita ter “boas chances” de ser efetivado na função, se a eleição para o governo do Estado for feita pela Assembleia, mas admite que uma eleição direta para o cargo tem outros entraves que vão além de sua vontade. “O que temos é uma eleição direta. Hoje, eu não sou candidato em função de não ter acertado com o partido, não ter acordado isso com o presidente do partido, até porque existem negociações sendo feitas, das quais não participei”, disse ele ao A CRÍTICA.

Vários fatores

Ainda sobre a eleição suplementar, David Almeida disse estar ciente de que a “conjuntura” deve ser analisada para uma decisão do tipo, inclusive a vontade do partido. 

Depende

“A gente precisa entender a questão do ‘querer’ e do ‘poder’. Ter uma leitura com relação a uma candidatura viável que possa atender as necessidades da população, atender os interesses do Estado e buscar convergências de apoios, que eu ainda não procurei, não busquei e sinceramente não tenho trabalhado para isso”.

Missão

David Almeida sustentou que segue focado na resolução de problemas do Estado em curto prazo. 

No páreo

Mesmo com a resistência de aliados recentes, o  ex-deputado estadual Marcelo Ramos (PR) segue com o projeto de ser cabeça de chapa na eleição suplementar deste ano. Há caciques que o vêem como ameça (não necessariamente como candidato, mas na hipótese de ser eleito). A possibilidade de mudança de práticas incomoda.

Negociações

Enquanto o PR não se decide, o PDT entregou a  Amazonino Mendes a decisão sobre a participação da legenda no pleito. Alçado novamente ao posto de “cacique partidário”, o ex-governador diz que o tempo, agora, é de conversar baixinho. Ao receber o Diploma do Mérito Industrial 2017, Amazonino Mendes sustentou que o momento “é de bastidor”.

Baixa

Mal anunciou sua pré-candidatura ao governo do Estado, o presidente da CMM, Wilker Barreto (PHS), já contabiliza desistências. O PPS, anunciado como legenda que dava apoio a Wilker, distribuiu nota afirmando que não esteve presente no evento de lançamento da pré-campanha e que inclusive estuda ter um  candidato próprio no pleito.

Mico

A vereadora Professora Jacqueline (PHS), cotada a vice na chapa de Wilker, resumiu em três as qualidades do pré-candidato, por quem diz ter admiração: juventude, qualificação e beleza. “Ele é um feio arrumadinho”, disse, durante evento no Da Vinci Hotel, arrancando gargalhadas dos presentes.

Ainda não

O Partido Verde, que formaria uma chapa com o PHS para a campanha ao governo do Estado, informou que só vai tomar uma decisão sobre o assunto esta semana. “Terça ou quarta vamos decidir quem realmente vamos seguir”, afirmou a presidente estadual da legenda, Eliane Ferreira, no evento do último sábado. 

Roteiro

Independente dos recursos movidos em instâncias superiores, que podem transformar a disputa para o governo do Estado em eleição indireta, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AM) segue tocando o calendário definido com o aval do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Prepara os técnicos que vão atuar no pleito e já organiza a atuação dos mesários.