Publicidade
Sim & Não

‘Debutei’, diz o novo vice de Manaus

03/05/2018 às 21:27 - Atualizado em 04/05/2018 às 14:51
Show vereador

Desde 1º de janeiro de 2017 ocupando uma cadeira na Câmara Municipal de Manaus, o vereador Wallace Oliveira, eleito com 6.819 votos, nem imaginava que em pouco mais de um ano assumiria o comando da capital. Apesar de ser o 3º vice-presidente da CMM, se tornou o substituto do prefeito Arthur Neto. Os demais quatro nomes na linha de sucessão, incluindo o vice Marcos Rotta, têm pretensões eleitorais este ano e não podem assumir o posto. Após ter administrado Manaus por uma semana, ele disse: “Debutei”.

Ausência Wallace Oliveira  certamente terá várias outras oportunidades de comandar Manaus nos próximos cinco meses, já que o titular da cadeira, Arthur Neto, reeleito com  581.777 votos, cria todo tipo de motivo para se manter longe da cidade.

Pretexto  Desta vez, o novo sumiço do  prefeito de Manaus, que durou seis dias, teve como argumento uma “palestra” para jovens do Insper, uma instituição de ensino superior de São Paulo.

Turismo A verdade é que Arthur foi a uma sala de aula do tal instituto conversar com 15 alunos, entre eles, a própria enteada que, conforme apurou a coluna, organizou o bate-papo.

Mais um De fato, Arthur foi recebido no instituto, de forma protocolar, pelo economista Marcos Lisboa, gestor do Insper. Mas nem o site da instituição nem a página do Insper no Facebook faz qualquer menção à presença de Arthur Neto.

Trabalho O novo “vice-prefeito” Wallace Oliveira afirmou que, durante a ausência de Arthur, visitou obras, como a da ponte que faz interligação entre a  Estrada da Ponta Negra e a Avenida do Turismo, “onde  costumeiramente há problema”.

Melhor não À coluna, Wallace  também disse que fez despachos da sede da Prefeitura de Manaus, na sala anexa ao gabinete de Arthur, mas não entrou na sala do prefeito. “É de bom  tom (proceder assim)”. 

Pendência Acabou sem acordo a proposta de reajuste salarial para os servidores da Susam prevista para ser votada ontem pelo plenário da Assembleia Legislativa do Estado.

Senta O impasse entre deputados e manifestantes, que depende de um parecer do TRE/AM, acabou sem resultados. À espera do posicionamento do tribunal, as partes vão aguardar até a próxima terça-feira (8) para que a Mensagem Governamental volte à pauta de votação.

Pra frente Ao defender as reposições inflacionárias entre 2015 e 2017 dos servidores da Saúde, a deputada Alessandra Campelo (MDB) assumiu o risco das punições previstas a agentes públicos, como ter o registro de candidatura cancelado ou em caso de reeleição, passar o mandato brigando com o TRE e TSE.

Intrépida “Nós (deputados) podemos recorrer quanto ao registro de candidatura”, sustentou Alessandra. “Quem for candidato à reeleição pode ser reeleito e passar o mandato todo brigando no TRE, TSE... Mas se for revogado o aumento deles (servidores) sabe-se lá mais quanto tempo eles vão ficar sem esse aumento”.

Destaque Sob a orientação  do Centro de Cooperação Técnica do Interior da ALE/AM,  a Câmara de Vereadores de São Gabriel da Cachoeira produz uma nova versão da Lei Orgânica Municipal em quatro idiomas.