Publicidade
Sim & Não

Delação ‘é o pai de todas as bombas’

18/05/2017 às 23:04 - Atualizado em 18/05/2017 às 23:10
Show omar e silas0222

A bancada federal do Amazonas concorda, em sua maioria, que o presidente Michel Temer não tem qualquer condição de permanecer no comando do País e sugere que a renúncia e o chamamento de nova eleição são a solução para, pelo menos, minimizar os efeitos da nova crise.  “O Temer não tem condições de governar”, sentencia o senador Omar Aziz (PSD). “Por amor ao Brasil, deveria renunciar e chamar novas eleições”, afirma Silas Câmara (PRB). Para Omar, a delação de Joesley Batista “é o pai de todas as bombas”. 

Efeito manada   Entre os membros da bancada federal amazonense é praticamente unânime o raciocínio de que, se não renunciar, Temer não conseguirá evitar o processo de impeachment, mesmo tendo os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Eunício Oliveira, como aliados. 

Consciente  Ao defender a renúncia de Temer, Omar Aziz é certeiro ao dizer que cabe ao povo, e não ao Congresso, eleger o próximo presidente. “Tanto a Câmara como o Senado não tem hoje legitimidade para escolher o presidente, com esse número de pessoas investigadas”, sustenta. Ele próprio está entre os investigados.

Cautela  O presidente estadual do PR, deputado federal Alfredo Nascimento, que enfrenta inquérito na Lava Jato, também concorda que Michel Temer perdeu as condições de comandar o Brasil. “Mas defendo que se investigue tudo, apure à exaustão todas as denúncias. Temos que seguir o que está na Constituição”.

Nunca antes  Por suas redes sociais, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), igualmente enrolada na Lava Jato, disse que “jamais houve um pedido de impeachment tão sólido”, em referência ao documento protocolado na Mesa Diretora da Câmara e assinado por membros do  PT, PDT, PCdoB, Rede, Psol e PSB. Foi o oitavo pedido de impeachment.

Na lua  Já o senador Eduardo Braga, do PMDB de Temer, também alvo de inquérito no STF, ignorou, em suas redes sociais, a turbulência política com as novas delações. Seguiu em plena campanha para o governo do Estado com postagens saudosistas. Em uma delas, recorda 1993 e diz: “#ManausMeuCiúme”.

Agora vai!  Na Assembleia, o assunto também repercutiu. O deputado Dermilson Chagas (PEN) apresentou requerimento à Mesa Diretora da Casa pedindo que o Poder “reforce” junto à Câmara Federal pedido de impeachment do presidente. 

Régua  O petista José Ricardo Wendling não deixou o assunto por menos. Pediu a renúncia e a prisão de Temer e do senador Aécio Neves (PSDB). “O partido dele (Michel Temer) é o que tem mais gente envolvida na Lava Jato”, revoltou-se em plenário. 

Aviso  O vereador Chico Preto (PMN) foi a um cartório de títulos e documentos, ontem, e protocolou uma notificação extrajudicial endereçada ao prefeito de Manaus Artur Neto (PSDB). Nela, o parlamentar lembra que o artigo 10 Loman pune com a perda do cargo o gestor que, avisado, deixe de cumprir em 90 dias um direito constitucional do cidadão.

Direito  No documento, o vereador pede que Artur regulamente o Uber. “Esse serviço por aplicativo está autorizado por lei federal. Se o prefeito não regulamentar, está tirando do cidadão o direito de escolha”, disse Chico Preto.