Publicidade
Editorial

Educação pede compromisso

16/02/2018 às 22:34 - Atualizado em 17/02/2018 às 00:00
Show seduc

A existência de mais de 100 mil vagas na rede estadual de ensino para este ano e o abandono da escola de aproximadamente 40 mil estudantes demonstram situação que deve merecer muita atenção do Governo do Amazonas e, diretamente, dedicação dos gestores da área. Os números são oficiais e foram revelados pela Secretaria de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc).

Há questões de fundo que necessitam ser respondidas com transparência. Por que existem tantas vagas em aberto? Por que há três meses a informação era de que Estado e Município de Manaus estavam com déficit na oferta de vagas nas escolas públicas? Quais as razões recorrentes para que 40 mil estudantes abandonem a escola?

Inicialmente, o que os indicadores expõem é um problema de gestão da educação. Não se trata da falta de verbas e sim de planejamento adequado que inclua pesquisas responsáveis, atualizadas permanentemente e comprometidas com a melhoria da educação em todo o Estado do Amazonas. Tanto o volume de vagas em aberto quanto o de evasão escolar apontam para o distanciamento que a política educacional no Estado adotou, privilegiando alguns setores e minguando ações em outros.

Durante os meses de dezembro e janeiro, o que a sociedade amazonense assistiu cansativamente foram cenas de pais ou outros responsáveis por estudantes em plena disputa pública por vaga. Um cenário repetitivo de outra forma de violência contra a dignidade da população, dos estudantes e daqueles que lutam para vê-los estudando. As filas também produzem o comércio ilegal e deprimente de venda de “vaga” ou de funções esporádicas de trabalho ilegal como o de “guardador de lugar” para aqueles que não querem ou não podem passar à noite em frente as escolas.  Quando o Amazonas se livrará definitivamente desse mal?

O governador Amazonino Mendes prometeu, durante a campanha, arrumar a casa. Há muito para arrumar em todas as áreas. Nas de educação e de saúde, o estrago é grande e o processo de superação só terá êxito se houver por parte dos gestores determinação de enfrentar interesses de grupos que há muito faturam alto com esses dois campos. Os dados que ora estão sendo levados à opinião pública demonstram, quando confrontados a outros, a relevância e a urgência de maior zelo e envolvimento com essas causas.