Publicidade
Sim & Não

Eleição é teste para estilo Melo

21/12/2016 às 20:22
Show assembleia01

O resultado da eleição da nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa (ALE-AM), hoje, será um teste ao modo com que José Melo (Pros) diz se relacionar com o Parlamento. “Não sou tirano. Não puxo a orelha de deputado”, orgulha-se o governador. Às vésperas da votação, a disputa aparenta estar aberta. Quando o nome do presidente eleito for conhecido, será possível saber se José Melo precisou puxar a orelha de alguém antes, ou o fará depois da sessão, marcada para as 15h.

Riu por último  Quando questionado se o placar apertado para aprovar algumas matérias esse ano significa fraqueza junto a sua base, Melo sustenta que não. Isso porque, para ele, no fim das contas, o Executivo ganhou todas no Plenário.

Rédea longa  “É a minha maneira de ser. Eu não sou um déspota. A minha base tem toda liberdade. Eu não tenho queixa contra minha base. Eles aprovaram as leis que foram colocadas em prática permitindo o equilíbrio do Estado”, disse Melo à coluna.

Fiel da balança  Até ontem, o desenho na ALE-AM era o de votos divididos entre a candidatura de David Almeida (PSD) e a de uma chapa alternativa à candidatura dele. Confirmando esse cenário apertado, os votos de Luiz Castro (Rede) e José Ricardo (PT) podem ser decisivos.

Por princípio  Indeciso, ontem, Luiz Castro afirmava que decidiria o voto por convicção e não por conveniência.

No olho  Pauderney Avelino (DEM-AM) estava entre os políticos que participaram na terça, 20, de uma reunião na Câmara com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O chefe do Ministério Público Federal tenta um acordo com o Legislativo para a elaboração de um novo projeto de abuso de autoridade.

Indigesto  Segundo o jornal Folha de São Paulo, o texto do projeto de abuso de autoridade que a Câmara e o Senado querem aprovar não agrada o Ministério Público e o Judiciário. Janot entra no debate com o peso de ser o responsável por chefiar a negociação de delações que atingem em cheio o mundo político.

Na hora H  Falando em Pauderney, o jornalista Ilimar Franco, do jornal O Globo, insinuou em sua coluna, publicada ontem, que na hora do vamos ver, a valentia do líder do DEM não é a mesma que sustenta no microfone da tribuna da Câmara.

No microfone  “Na votação da renegociação da dívida dos estados, líderes e deputados ocuparam os microfones de aparte protestando contra a retirada das contrapartidas. O líder do DEM, Pauderney Avelino, chamou o texto de “Frankenstein.” Mas na hora do vamos ver, o projeto foi aprovado em votação simbólica (296 votos a 12)”, escreveu Ilimar.

Tão avisados  O sub-procurador-geral de Justiça do Ministério Público Estadual (MP-AM), Pedro Bezerra, publicou, ontem, resolução informando que haverá eleição dentro do órgão para uma vaga de desembargador do TJ-AM.

Dá licença Para poder disputar a eleição, o chefe do MP-AM, Fábio Monteiro se afastou das funções. A disputa será realizada em fevereiro. Até lá, Pedro Bezerra responde pelo órgão.