Publicidade
Sim & Não

Eleitores perseguem bancada

12/04/2016 às 21:40
Show 468987

Os membros da bancada federal do Amazonas na Câmara passaram a ser “perseguidos” por eleitores pró e contra o impeachment, especialmente nas redes sociais. Internautas cobram posição dos deputados federais e fazem campanha para influenciar o voto dos parlamentares na sessão que vai julgar Dilma Rousseff, no final de semana. Os deputados Alfredo Nascimento (PR), Hissa Abrahão (PDT), Conceição Sampaio (PP) e Marcos Rotta (PMDB) estão entre os mais “cassados”.

 Exigência 

Alfredo, que já declarou voto contra o impeachment, recebe apoios, mas sofre dura pressão para mudar de posição. “Deputado, sabemos das ligações do seu partido e suas com o PT, mas não aceitaremos um voto seu contra o impeachment e, consequentemente, contra o povo amazonense”, cobrou uma seguidora do parlamentar, em sua página no Facebook. 

Vaselina

Em postagem em uma rede social, Hissa Abrahão deixou evidente o desconforto com a cobrança que vem recebendo, mas afirmou que já deixou clara a sua posição. Uma internauta retrucou. “Ele circula, circula, e não responde nada”. Outra arrematou: “Ele fala, fala, e não se posiciona. Que vergonha deputado”.

Confirmação

Já a deputada Conceição Sampaio, quando cobrada sobre o assunto, nem se dá ao trabalho de argumentar, e replica uma publicação que fez no dia 20 de março, onde afirma ser favorável ao impedimento de Dilma “por amor ao Brasil”. Marcos Rotta, por sua vez, diz que vai votar “sim”, e ponto final.

Fora os 3

Nem Dilma. Nem Temer. Nem Cunha. Para o  prefeiturável Marcelo Ramos (PR), ex-deputado estadual, só novas eleições podem tirar o País do buraco. “O Brasil não pode ser passado a limpo pela metade”, afirmou.

Meretriz 

O tema impeachment ganhou tom de bate-boca no plenário da Assembleia Legislativa do Estado (ALE/AM, ontem. O deputado Sabá Reis (PR) comparou os membros do PMDB nacional a prostitutas.

Confronto

Reis ainda aproveitou o ensejo para cutucar a colega do PMDB. “A deputada Alessandra (Campelo) tem que fazer um exercício de convivência com Eduardo Cunha, Renan e Temer. Eu sei o que eles prometeram a deputada”. Ela revidou na hora: “Então diga o que foi, seja homem e fale”. Reis deixou pra lá.

Morde e assopra

O deputado Orlando Cidade (PTN) afirmou que a política para o setor primário fracassou, no Amazonas, por falta de incentivo do governo federal e estadual. Mas logo tratou de afagar o governo Melo. “Há uma esperança. O governador José Melo está mudando a matriz da economia do Estado e isso passa pelo setor primário”.

Erramos

A Diretoria de Comunicação da ALE/AM informou, ontem, que o limite de gastos para cada deputado,  com telefonia, é de R$ 21 mil anuais e não mensal, ao contrário do que publicou a coluna. A quantidade média de combustível disponibilizada a cada gabinete, por mês, é de 17.000 mil litros, e não 36.960.

Demanda

“O combustível é utilizado pelos veículos que estão a serviço dos deputados e também da administração da Casa, sendo que há variação para menos nos meses de recesso”, esclareceu a Casa.