Publicidade
Sim & Não

Em dois anos, ‘giro’ de Arthur foi espetacular

10/08/2018 às 07:19
Show arthur agora

A crítica lançada pelo prefeito Arthur Neto sobre seu vice, Marcos Rotta, de que ele estaria dando a “volta ao mundo” ao deixar o ninho tucano para se aliar ao governador do Estado, pode ser usada contra o próprio tucano. A diferença é o espaço de tempo. O “giro” de Arthur, em dois anos, foi muito mais veloz. Em 2016, quando precisava ser reeleito, o tucano fez aliança com Eduardo Braga. Em 2017, na eleição suplementar, brigou com Braga e se juntou a Amazonino Mendes. Em 2018, não quis nenhum dos dois e se uniu a Omar Aziz.

Ex-míope  Sem conseguir emplacar o filho, Arthur Bisneto, como vice na chapa de Amazonino, o prefeito passou a enxergar, agora, os graves problemas da Segurança Pública. Pediu até para assumir o comando das polícias. 

Repeteco   A retórica de Arthur contra adversários no período de eleição é uma velha conhecida. Foi assim com Braga, Amazonino e Omar. Antes de disparar contra Melo em 2016, Arthur fez campanha para ele em 2014.

Advogado   Por Melo, em 2015, Arthur confrontou a Rede Globo por causa de uma reportagem do Fantástico que revelava compra de votos na Eleição de 2014. “Votei em José Melo para Governador. Meu candidato venceu”, inicia o texto divulgado à época, no qual ataca Eduardo Braga, com quem fez aliança no ano seguinte.

Porta fechada  Para o PSB/AM, não há mais chance da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) concorrer à reeleição no mesmo palanque de David Almeida. A liderança do partido dá como encerrada a questão, conforme apurou a coluna. Procurado ontem, o presidente de honra da legenda, Serafim Corrêa, nem quis mais falar sobre o assunto.

Etapa vencida  Ontem, Serafim e Vanessa tiveram um encontro reservado. A comunista saiu da reunião ciente de que as portas do partido foram fechadas no último fim de semana, quando da realização das convenções partidárias. O PSB alega que já até entregou ao TRE/AM a ata da convenção e os candidatos da chapa.

‘Informal’ Sobre Vanessa, o presidente do PT/AM, Sinésio Campos, sustentou: “Ela terá o apoio informal dos militantes do partido, por tudo que ela representa, por sua luta contra o impeachment”, afirmou.

Soldadinhos  Sinésio sustentou que toda a recomendação feita pela Executiva Nacional do PT foi seguida pelo partido no AM. “De forma unânime a Executiva Estadual do PT decidiu a coligação com o PSB e David Almeida candidato a governador, indicando um vice. Para a chapa ao Senado, por orientação da direção nacional, não apresentamos candidato”

Exagerou  O presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra, admitiu ontem que as declarações dadas por ele sobre a aliança com o PSB podem ter ajudado a tensionar a relação com os dois partidos. “Se essa é a razão do tensionamento, retiro o que disse”, informou.

Estresse À coluna, há uma semana, Eron chegou a dizer que David Almeida escolheu uma “agenda fundamentalista” e sustentou que o partido não tinha mais interesse no diálogo com o PSB. A reação, segundo ele,  “foi extemporânea, de quem acabara de ser alijado de uma coligação” que ele diz ter ajudado a pavimentar.