Publicidade
Sim & Não

Esquerda se dilacera no Amazonas

24/06/2017 às 14:16 - Atualizado em 24/06/2017 às 14:17
Show imagem materia

Apesar de manter propostas comuns em grande parte, os partidos de esquerda no AM, especialmente PT e PCdoB, que estiveram juntos na eleição para a Prefeitura de Manaus ano passado, decidiram traçar caminhos rivais no pleito suplementar para o governo. O PT segue com chapa “puro sangue”. Em busca do poder, os comunistas no AM, liderados pela senadora Vanessa Grazziotin, abandonaram o discurso contra “golpistas” do PMDB e abraçaram a campanha de Eduardo Braga, que votou em favor do impeachment de Dilma.

Rumo

 “O lugar do PCdoB era estar aqui conosco. Está do lado errado”, reclama o deputado estadual José Ricardo Wendling, candidato ao governo, que tem como vice o colega de Parlamento Sinésio Campos. Eles contam com a participação ativa do ex-presidente Lula na campanha.

Saudade

Para justificar o apoio a Braga, o PCdoB encontrou um argumento: o senador promete votar contra as reformas trabalhista e previdenciária. Nos governos Eduardo Braga e Omar Aziz, entre 2007 e 2014, os comunistas surfaram em cargos no Executivo Estadual.

Crista

Questionado sobre a “desunião” da esquerda no Estado, o deputado estadual Luiz Castro, candidato ao governo pela Rede com o apoio do PSOL, diz que a parceria com o PT não foi possível porque o partido “insiste em ter uma ‘hegemonia’ mesmo tendo seu tesoureiro preso e principais líderes envolvidos na Lava Jato”.

Moral

Conforme Luiz Castro, o PT, ao buscar apoio “já vem com o pacote pronto”. “O problema não o Zé Ricardo, a quem não temos restrições, mas é a forma como se conduz o processo e as companhias dele”. Sobre o PCdoB, o candidato afirma que o caminho definido pela sigla “dispensa comentários”.

Inquietação 

Muito embora o apoio à reforma trabalhista no Congresso Nacional pareça arrefecer,  o sentimento no Ministério Público do Trabalho é de “preocupação”, segundo o procurador Rodrigo Octávio Mesquita, membro da Procuradoria Regional do Trabalho da 11ª Região (AM/RR).

Ilegalidades

Conforme o procurador, o projeto da reforma trabalhista “é inconstitucional” porque tem como “objetivo geral” retirar direitos. Ele afirma que o MPT seguirá buscando conscientizar a população sobre as consequências da reforma. De acordo com Rodrigo Octávio, a proposta vai inclusive de encontro a tratados internacionais.

 

 

Despatriotas

Solenidade feita pela Câmara Municipal de Manaus, em homenagem ao desportista Frank Alberto Franco, na quinta-feira, deixou evidente o quanto o sentimento de patriotismo há tempos foi deixado de lado.

Solo

Como em toda homenagem na CMM, o evento foi encerrado ao som do Hino de Manaus. Ao final da canção, o vereador Álvaro Campelo (PP), autor da honraria, observou que, além do maestro, ninguém sabia cantar o hino.

Visita

O presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas  (TJ/AM), desembargador Flávio Pascarelli, desembarca na próxima quarta-feira (28) no município de Parintins. Fará inspeção nas atividades do judiciário na Ilha Tupinambarana.