Publicidade
Editorial

Exemplo de cidadania empresarial

14/05/2016 às 00:10
Show club

A educação é, certamente, a chave para o futuro de uma Nação mais humana, harmoniosa e consciente da importância da vida em sociedade. É, portanto, nas salas de aulas, com o público infanto-juvenil atento e alerta, que podemos pensar em que tipo de sociedade queremos ter nos anos vindouros.

Pois é com o olho nessa perspectiva que a Moto Honda da Amazônia inaugurou, ontem, a “Cidade Mirim” do “Clubinho Honda”, espaços que tem por objetivo  “transmitir conceitos fundamentais de educação e segurança no trânsito aos motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres do futuro, ou seja, as crianças de hoje”.

É uma iniciativa meritória posto que trabalha um dos grandes problemas da atualidade nas grandes cidades brasileiras, Manaus incluída neste grupo, o trânsito e aqueles que no futuro vão sofrer os problemas ou desfrutar das soluções que nós, hoje, pode criar para tão complexa questão.

Para movimentar a  Cidade Mirim, a multinacional japonesa firmou parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed) para levar informações sobre  educação e segurança no trânsito e assim contribuir para  formar cidadãos mais conscientes e capazes de tornar o trânsito nas ruas de nossa cidade mais gentil e pacífico.

Pela parceria, a Cidade Mirim vai  receber até  300 crianças, de 4 a 7 anos, para atividades teóricas sobre leis de trânsito, mas também com exercícios práticos e com acompanhamento de especialistas. Esse, conforme a empresa, é apenas o primeiro passo, pois no futuro as ações poderão ser compartilhadas com outras instituições amazonenses. 

“Nesse primeiro momento nós vamos atuar em 15 datas estabelecidas com a Semed. Também vamos desenhar novas parcerias tanto para escolas públicas quanto privadas”, revelou o supervisor do   Centro Educacional de Trânsito (CETH), onde está abrigada a Cidade Mirim,  Marcos Frazão, ao sinalizar a importância que todos devemos dar a formação e qualificação de nossas crianças com vistas a criação de um adulto mais responsável e respeitador dos limites impostos pelo Código Brasileiro de Trânsito, que, como poucos sabem, cuida não apenas de motos, carros, ônibus e caminhões, mas também da mobilidade do pedestre e do ciclista, os novos atores que vão tirar a sobrecarga das ruas e diminuir o estresse de quem passa horas dentro de uma entropia urbana.