Publicidade
Editorial

Falta de consciência

01/08/2017 às 23:11
Show ve culos

Basta dar uma volta pelas ruas de Manaus para flagrar veículos com emissão excessiva de gases poluentes, principalmente carros movidos a diesel espalhando fumaça negra e altamente tóxica devido a falta de manutenção. Após denúncias, o Ministério Público do Estado abriu inquérito civil para apurar eventual poluição causada especificamente pelos ônibus executivos, mas a situação é  tão comum em veículos de todos os portes que as pessoas nem ficam mais indignadas.  

O problema é causado, sobretudo, pela falta de consciência dos proprietários, que não se importam em sair emporcalhando o ar. Em alguns casos, a emissão de gases poluentes é tão intensa que chega a dificultar  a visibilidade nas vias, além de comprometer a saúde dos condutores próximos. 

A situação é tão frequente que se levantam questionamentos quanto à eficácia da atuação do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), uma vez que os veículos são vistoriados e licenciados. Como é possível que carros apresentando esse tipo de problema tenham sido autorizados a circular em Manaus?
 

Vale ressaltar que, no ano passado,  a Assembleia Legislativa do Estado regulamentou o Plano de Controle de Poluição Veicular (PCPV), uma norma que tem a finalidade de reduzir abusos como o investigado pelo MPE, determinando que veículos automotores, incluindo motocicletas com mais de três anos, devem passar por inspeção veicular anualmente, junto com o licenciamento. O plano já deveria estar em vigor desde janeiro deste ano, mas até agora não saiu do papel. 

Mas nem seria preciso, já que o Código de Trânsito Brasileiro, em seu artigo 104, já determina a obrigatoriedade do controle da emissão de gases poluentes e também de ruídos. Bastaria cumprir a lei. 
Mais do que isso, bastaria que houvesse bom senso por parte dos proprietários. Infelizmente, em nosso País, às vezes é preciso criar leis para fazer as pessoas cumprirem  as leis, quando bastaria um pouco de consciência cidadã. 
Enquanto não atingimos um nível adequado de educação, vamos esperar que a ação do MPE avance e surta algum efeito no sentido de reduzir a emissão desenfreada de gases poluentes nas ruas de Manaus. O meio ambiente agradece.