Publicidade
Editorial

Falta respeito do governo federal

17/08/2017 às 22:29
Show temer 11111

Indicadores mostram que a direção do programa econômico brasileiro, a manutenção da crise ética e política e os arranjos para tratá-la estão aprofundando a desigualdade social no País. Famílias convivendo com a fome, o retorno do desemprego e do subemprego tornaram-se problemas reais na atualidade. E estão sendo agravados com um clima que favorece a violência, o racismo e a discriminação.

É um cenário preocupante. Não somente pela questão econômica e o tratamento desastroso que está sendo dado para ela e sim pelo incentivo a condutas violentas, a divisão da sociedade. Estão cada vez mais presentes os grupos de direita, radicais, que sentem um clima favorável para se reorganizarem e se apresentarem, sem rodeios, em atos públicos.

Há responsabilidade do governo federal que ao determinar prioridades na feitura de negócios para fazer valer as reformas que pretende e, nessa conduta, ignora completamente o avanço das forças retrógradas na vida nacional brasileira. As cenas da violência racista norte-americana ora mostradas ao mundo não estão distantes do Brasil, ao contrário se repetem em escala menor, mas dentro de um espaço que cada vez mais é enlarguecido e incentivado por setores institucionais. O Congresso Nacional atua como um desses lugares de onde são anunciados programas, feitos discursos e tomadas decisões que no conjunto representam ataques e agressões a uma parcela de brasileiros.

A conta aberta do governo brasileiro e a receita apresentada há dois dias pelo Ministério da Fazenda, constitui-se em nova agressão. De um lado, o presidente Michel Temer paga o preço cobrado pelos grupos de apoio no Congresso e, de outro, apresenta a conta aos brasileiros, aos servidores públicos federais (como congelar salários e aumentar o porcentual de desconto para a Previdência Social). A determinação em manter esse nível de confrontação, de retirada de direitos, e manutenção de privilégios a alguns setores e pessoas mostra que o governo decidiu pelo confronto com categorias de trabalhadores. E é o que se desenha nesse momento.

O que sobressai é a aparente falta de seriedade do Governo Federal e do Congresso Nacional na condução de temas fundamentais para o País. A economia pretendida pelo Governo se desfaz no exato momento em que o próprio governo distribui vantagens e aceita pagar o preço cobrado pelos legisladores que o apoiam. Falta respeito.