Publicidade
Editorial

Fragilidade online

12/05/2017 às 21:04
Show editorial08888

O ataque em larga escala que atingiu mais de 70 países e surpreendeu o mundo nesta sexta-feira é uma demonstração inequívoca dos riscos inerentes à dependência tecnológica. Em um mundo cada vez mais conectado, a Internet já se tornou parte indissociável do dia a dia. Patrimônio, segurança, lazer, intimidade, tudo está disponível em formato digital, ao alcance de hackers habilidosos e mal intencionados. Vale lembrar que nos últimos meses, figuras públicas como Donald Trump, Hillary Clinton e, mais recentemente, o presidente eleito da França, Emmanuel Macron, enfrentaram dificuldades causadas por informações hackeadas e vazadas na internet.

 Ontem, o problema ocorreu em escala global. O que se viu parecia o enredo de um filme de ficção científica. Um tipo de vírus ainda não totalmente identificado se espalhou rapidamente por diversas nações, paralisando operações em instituições de todas as áreas. De hospitais na Rússia a agências do INSS no Brasil, os danos causados pelo superataque ainda estão sendo contabilizados. No Brasil, além do INSS, também foram afetadas empresas como a Petrobras, tribunais de justiça e bancos. Especialistas alertam que é preciso redobrar a atenção com senhas já que ainda não se sabe o dano real que o vírus pode causar.

Trata-se de um ransomware, um pequeno programa que se esconde em um arquivo de aparência inofensiva e impede o usuário de acessar seus arquivos no equipamento infectado.

  A situação nos faz pensar em quão inseguros estamos e na necessidade urgente de se aperfeiçoar os mecanismos de defesa contra ataques como esse. Empresas como Norton, Kaspersky, Avira e Avast, entre outras, investem milhões de dólares continuamente no desenvolvimento de soluções de proteção que, ontem, mostraram-se pouco eficientes. Impressiona a escala global do ataque, algo que, até então, era uma exclusividade do cinema. Os serviços de inteligência de todo o mundo se debruçam agora na tarefa de identificar os responsáveis pela proeza, os motivos que os levaram a isso e como fizeram para infectar tantos equipamentos ao mesmo tempo em todo o mundo. Fica, sem dúvida, uma sensação de impotência e de preocupação com a segurança de nossas informações online. A insegurança já era um fato, ela foi apenas exposta em toda sua extensão.