Publicidade
Sim & Não

Gestão de Ari agrada oposição

23/06/2016 às 18:44 - Atualizado em 23/06/2016 às 21:12
Show ari e melo

A linha dura que o Tribunal de Contas (TCE-AM), na gestão de Ari Moutinho Júnior, vem adotando contra o Governo do Estado tem agradado, e muito, a oposição na Assembleia Legislativa (ALE-AM). Sob a presidência de Moutinho, o tribunal já forçou o Estado a apressar a nomeação de concursados na Susam, demitir comissionados, suspender demissões de dentistas, e, a mais recente, cancelar uma licitação da secretaria de Educação (Seduc) no valor de R$ 26,2 milhões.

Sinais  

No julgamento das contas do governador José Melo (Pros), em maio, Moutinho acenou para a marcação cerrada que fará à gestão. Reclamou que muitas das 14 recomendações feitas no julgamento eram as mesmas feitas no exercício anterior, e puxou a orelha do secretário Afonso Lobo (Sefaz).

Digitais 

Nomeado em 2008, na cota pessoal do então governador Eduardo Braga, do PMDB, Moutinho recebeu, nesta quinta-feira (23), na ALE-AM, elogios da peemedebista Alessandra Campelo, para quem ele “tem feito um excelente trabalho”.

A propósito  

Alessandra aproveitou a ocasião para pautar Moutinho. Pediu que o TCE-AM fiscalize com lupa os US$ 150 milhões que a Prefeitura de Manaus terá acesso nos próximos dias por meio de um empréstimo ao Bird.

Fiscal de sobra  

O deputado estadual Bosco Saraiva (PSDB) diz que os opositores de Artur Neto (PSDB) não têm com o quê se preocupar: “Serão dois milhões de fiscais dos US$ 150 milhões”, afirma o político, referindo-se aos habitantes de Manaus.

Haja asfalto 

Segundo Bosco, como o dinheiro será usado para recuperar ruas na cidade, cada morador da capital ficará de olho no asfalto que passará ou não na rua onde mora.

Flor da pele 

Do deputado estadual Francisco Souza (PSC) para o líder do governo na ALE-AM, David Almeida (PSD), depois do presidente Josué Neto (PSD) encerrar a sessão desta quinta-feira (23): “Ele está puto ou chateado?”.

Fecha tudo

Josué surpreendeu os colegas ao interromper a sessão sob a alegação de que não havia mais quórum para seguir os trabalhos. Irritado, o presidente mandou desligar o painel de registro de presença dos deputados e saiu sem falar com ninguém.

Olha eu aqui 

Um dos mais aperreados com o encerramento da sessão era Augusto Ferraz, do DEM. Isso porque o deputado entrou no plenário, mas ainda não tinha registrado a presença. “Eu estava na mesa resolvendo um problema com ele. Quando desci, ele desligou tudo”, reclamou o parlamentar.

Custo olímpico 

Os seis jogos do torneio de futebol das Olimpíadas que serão realizados em Manaus vão custar R$ 7,9 milhões, por enquanto. Esse é o valor que o governo vai pagar à empresa Ecoart  para organizar o torneio.

Na parede 

A portaria sobre o contrato foi publicada no Diário Oficial do Estado do dia 22, que circulou ontem. Não houve licitação. Segundo a Casa Civil, não havia tempo para fazer licitação e o Comitê Rio 2016 ameaçava excluir Manaus dos jogos se a cidade não apresentasse um cronograma das atividades em 48 horas.