Terça-feira, 23 de Julho de 2019
Editorial

Idosos em perigo constante


show_IDOSOS088888_6D4D238A-9ADD-4259-9359-25CD21B5C869.jpg
15/06/2019 às 11:05

Em nossa sociedade, uma das classes etárias mais vulneráveis a todo tipo de abusos são os idosos. De modo geral, a sociedade ainda não encontrou  a melhor forma de lidar com seus velhos. Nossos pais, tios e avós vão envelhecendo e ficando cada vez mais dependentes de cuidados à medida que a idade avança.

A responsabilidade de prover esses cuidados recai sobre filhos e netos, que nem sempre encontram vontade ou motivação para tal, e muitas pessoas com mais de 65 anos são abandonadas à própria sorte, recebem atenção insuficiente ou vivem em condições de maus tratos. Infelizmente, muitos passam a ser vistos como pesos, sendo meramente suportados devido à fonte de renda que representam por conta da aposentadoria.

Como se não bastasse, as pessoas com idade avançada, são alvos preferenciais para todo tipo de abusos por parte de criminosos, que podem, inclusive, estar dentro de casa. Um quadro que se agrava no Amazonas, como mostram os números da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-AM). Só no ano passado, foram registrados 13.593 boletins de ocorrência de crimes contra pessoas nessa faixa etária. No primeiro trimestre deste ano, o número de ocorrências cresceu 27% .

É fundamental criar amplas redes de proteção para fazer valer o que está definido no estatuto do idoso, documento que reconhece a vulnerabilidade dessa faixa etária e fixa uma série de direitos e garantias às pessoas idosas.

Mas mudança mesmo, só com educação e conscientização, que podem trazer resultados positivos principalmente em longo prazo, com o amadurecimento da próxima geração de adultos. E tomara mesmo que isso aconteça, porque em poucas décadas, os idosos serão os trintões e quarentões de hoje.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.