Publicidade
Editorial

Improbidade normatizada

16/05/2017 às 21:40 - Atualizado em 16/05/2017 às 21:42
Show coari08888

As notícias propiciam leituras de mundo e quanto mais livre for a circulação de informações mais elementos os cidadãos terá para ler o mundo local/nacional/mundial. Liberdade não rima com irresponsabilidade, ao contrário, exige a responsabilidade como regra básica. As notícias de ontem e de hoje apresentam um quadro espetacular das condutas públicas em meio ao silêncio das panelas revoltosas do passado recente. Seriam essas condutas toleráveis?

No Amazonas, o prefeito de Coari, Adail Filho (PP) torna normal a doação de terreno do patrimônio público daquele município à empresa cujos sócios, pelo menos quatro deles, foram doadores da campanha de Filho.

Em Brasília, de acordo com a Agência Globo, o presidente Michel Temer (PMDB) mantém uma assessora do Palácio do Planalto para cuidar da residência presidencial. Nomeada para um cargo de nome longo e manobrável - ‘Assessora Técnica no gabinete-adjunto de Informações em apoio à decisão do gabinete pessoal do presidente da República’ – a profissional dessa função tem salário de R$ 5,1 mil para cuidar da residente de Temer.

As duas situações estão interligadas e podem ser um dos braços de explicação do porque antas questões graves e necessárias à melhoria de vida dos brasileiros são deixadas de lado. Uma delas, tão antiga quanto as práticas mencionadas, é a situação de abandono da BR-319, rodovia que liga Manaus a Porto Velho/Rondônia. O cabo de guerra dos interesses nessa estrada está esticado há muitos anos e é manejado episodicamente mediante o movimento do clima político.

Não importante o dado mais presente, o cotidiano de inúmeras famílias, agricultores e de outros segmentos que padecem com a falta de uma rodovia que funcione adequadamente. São pessoas submetidas, por necessidade, a aventuras de todos os tipos como acaba de ocorrer com grupo de 24 passageiros presos no trecho entre as comunidades Igapó-Açú e Realidade. A área está intransitável e não é o único pedaço da estrada nessa situação.

Reunidas, essas notícias compõem um quadro: enquanto a corrupção se renova e se fortalece, milhares de brasileiros são submetidos à precarização e impedidos de ter, legalmente, acesso à assistência médica, à educação, à moradia, enfim viver dignamente.