Publicidade
Editorial

Insegurança, violência e prevenção

04/07/2018 às 20:33 - Atualizado em 04/07/2018 às 20:36
Show homicidio

Diariamente a mídia apresenta um panorama da violência no Estado do Amazonas, com foco nos casos de assaltos, latrocínio, estupros, espancamentos e assassinatos como “queima de arquivo” ou “acerto de contas”. A cidade de Manaus aparece nos levantamentos de indicadores de segurança pública ou nos relatórios de violência entre os primeiros lugares sendo colocada no rol dos lugares perigosos para viver.

Nos últimos anos o medo tomou conta da maioria da população, os linchamentos voltaram a ocorrer e os assaltos em ônibus do sistema de transporte público se multiplicaram. Matanças em presídios, fuga de prisioneiros, armas e equipamentos de comunicação nas selas são notícias recorrentes. A violência parece ter triunfado diante do sistema público de segurança e alimenta as faixas e cartazes pendurados em árvores das praças públicas em defesa do armamento. 

A ideia de que uma população armada pode se defender melhor da violência que sofre ganhou adesão e reforça os interesses de grupos de parlamentares e investidores no setor de armas para o Brasil ampliar as formas de acesso às armas de fogo. Em Manaus, a campanha pelo armamento ocorre com maior intensidade exatamente nas zonas e bairros onde os números da violência são mais altos. A instabilidade, a fragilidade e a sensação de insegurança dos moradores são manipuladas para fortalecer o armamento pessoal e pressionar o Congresso Nacional a fazer mudanças nessa direção.

Respostas lentas e a falta delas por parte dos governos ajudam a compor um panorama caótico e de pavor onde a perspectiva de uma mudança para um bom sistema de segurança pública inexiste enquanto sentimento da população. O quadro gerado propicia a ação dos narcotraficantes que passam a operar em escala e conexões cada vez maiores, com soma altíssima de dinheiro, trânsito intenso de armas e cooptação de jovens e adolescentes que passam a ser parte estratégica do esquema de operacionalização dos negócios do crime na cidade.

Os projetos sociais da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSp-AM) se constituem em um dos arranjos oficiais para estabelecer alguns pontos de enfrentamento a essa realidade. Necessitam ser intensificados, permanentemente avaliados e dinamizados a fim de alcançar o maior volume possível de pessoas, núcleos familiares e escolas para funcionarem como outra rede nas ações de combate aos crimes. E não podem ficar a mercê do humor do dirigente de plantão.