Publicidade
Sim & Não

Juiz da Vara de Execuções Penais se diz ameaçado após matéria nacional

03/01/2017 às 22:30 - Atualizado em 03/01/2017 às 22:33
Show 1007498

O juiz Luís Carlos Valois, que participou da negociação para o fim da rebelião que terminou na morte de 56 presidiários, diz que recebe ameaças de morte desde que o jornal Estadão noticiou que ele foi alvo de investigação da Polícia Federal por suspeita de ligação com a facção Família do Norte. “Agora recebo ameaças de morte da suposta outra facção, por causa da matéria covardemente escrita, sem sequer citar o que falei. Estadão covarde”, escreveu o juiz no Facebook.

Irresponsável

Malhado na imprensa nacional, Valois foi defendido em nota ontem pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). No texto, a Associação classificou de irresponsáveis as ilações sobre a conduta do  juiz, feitas pelo jornal.

Respeitado

Segundo a AMB, Valois tem o respeito da magistratura amazonense e brasileira, e é alvo de acusações infundadas, que não condizem com a realidade e a seriedade do seu trabalho.

Investigação da PF

O Estadão fez referência ao mandado de busca e apreensão, cumprido no gabinete de Valois, na segunda fase da La Muralla, em junho de 2016, noticiado por A Crítica. O alvo principal da investigação da PF foi a FDN.

Palpitando

O prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB), sugeriu nas redes sociais  que a crise no sistema penitenciário em Manaus é motivo de se solicitar a ajuda da Força Nacional. O secretário de Segurança, Sérgio Fontes, diz não ver necessidade.

De fato

O radialista Marcos Santos já circula pela Semcom como se fosse secretário. O titular, Célio Jr., continua por lá. Dizem que aguarda instruções do prefeito.

Novos tempos

Márcio Noronha será confirmado na Casa Civil de Artur Neto (PSDB). Mas sem os superpoderes que teve no primeiro mandato.

É ele

Enquanto o vereador Elias Emanuel nega, servidores da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) confirmam-no como titular da pasta em conversas informais com colegas.

Quase cheio

O governo tem comemorado um feito no setor da Saúde. A Central de Medicamentos do Estado do Amazonas (Cema) iniciou 2017 com 95% de abastecimento. E com apenas 8 medicamentos especiais de uma lista de 157 em falta.

Demanda

Segundo o Governo do Estado, a Cema atende, em média, 7 mil pacientes por mês.

Digitais tucana

Há uma briga interna na Banda da Bica por causa do tema tratado na marchinha para 2017. A versão original, por pegar no pé do prefeito de Manaus, não agradou integrantes do grupo que têm ligações próximas com o poder municipal. Já circula até uma música paralela.

Vai pro voto

“A marchinha oficial está sendo gravada e a capa do CD produzida. A ala chapa branca é minoria na diretoria da Bica. A dona do bar não se mete na letra, assim como fazia também o Armando. “Vamos disputar voto a voto a preferência da diretoria”, afirmou um dos compositores da banda.