Publicidade
Editorial

Manaus exige resposta à insegurança

25/06/2018 às 21:08 - Atualizado em 25/06/2018 às 21:56
Show violenciaeditorial

A população de Manaus não aguenta mais viver com medo, refém da insegurança e da violência promovida por facções criminosas que há anos vêm loteando a cidade e lutando entre si pelo controle do tráfico na capital. As cenas do tiroteio entre grupos rivais ocorrido na madrugada de ontem causou terror nos moradores da Rua Sete do bairro Lírio do Vale 2. O caso está longe de ser uma situação isolada. Aquela é exatamente a realidade em vários pontos da cidade, onde a população vive sob a lei do silêncio. 

A impressão é que o cenário está piorando. Ninguém se sente seguro e a população vive em estado de alerta permanente. Um quadro que não pode perdurar. É preciso que haja uma resposta firme para restabelecer a ordem. A criminalidade não pode vencer.

E essa resposta não pode ser apenas para passar uma imagem de tranquilidade durante a campanha eleitoral. Precisa ser uma ação integrada para assegurar que o manauara possa viver sem medo de ser alvo da criminalidade a qualquer momento e em qualquer lugar.

O governo do Estado busca a construção de uma estratégia de enfrentamento por meio de parceria com um escritório especializado de renome mundial. É preciso construir ações integradas, inclusive com a participação da Prefeitura de Manaus, por meio da guarda metropolitana, que pode ser ampliada, melhor treinada e aparelhada para contribuir no enfrentamento do crime organizado. Vale ressaltar que o recém-criado Ministério da Segurança Pública e do Sistema Único de Segurança Pública (Susp) preveem ações e recursos para auxiliar os Estados no combate à insegurança. São medidas urgentes que não podem ficar apenas na expectativa de resultados. O Amazonas e o Brasil não podem ficar à mercê de organizações criminosas.

Por sua complexidade, a questão da segurança pública, assim como os demais problemas crônicos do País, não podem ser resolvidos da noite para o dia. Não existem receitas rápidas e nem salvadores da Pátria. Por isso mesmo, a população precisa exigir de seus governantes o compromisso de enfrentar a criminalidade e a insegurança. Trata-se de um debate que precisa ser travado com seriedade, independentemente do período eleitoral. Apenas com planejamento, seriedade e união conseguiremos superar esse desafio.