Publicidade
Sim & Não

‘Maus caminhos’ volta do STF

22/01/2017 às 20:33
Show supremo0333

Depois de desmembrar fatos envolvendo autoridades com foro, o Supremo Tribunal Federal (STF) devolveu, este mês, a ação da operação “Maus Caminhos” para seguir sua tramitação na 1ª instância da Justiça Federal no Amazonas. O processo corre em segredo de Justiça, mas, por ter subido para o STF em novembro de 2016, indica que a investigação alcançou agentes públicos com mandato. Agora, esta parte da denúncia segue em Brasília e o resto corre no Estado.

Outro caminho  A operação “Maus Caminhos” descobriu um esquema de corrupção que desviou milhões do saúde pública do Estado. O Instituto Novos Caminhos (INC) estava no centro do escândalo.

Nosso voto  O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, recebeu, ontem, o apoio dos deputados Alfredo Nascimento (PR), Pauderney Avelino (DEM), Conceição Sampaio (PP), Átila Lins (PSD) e Silas Câmara (PRB) à sua possível candidatura à reeleição. Maia participou de almoço, em Manaus, na casa do senador Omar Aziz (PSD), coordenador da bancada do AM.

Pensa na gente  Além dos parlamentares, o governador José Melo (Pros) esteve no almoço. Ele se diz engajado no projeto de reeleição porque Maia se comprometeu com projetos de interesse do Estado, como a liberação de financiamentos e a BR-319.

Porteira aberta  Depois de William Abreu e Chico Preto (ambos do PMN), a vereadora Joana D’Arc (PR) também pedirá a anulação da eleição da Mesa Diretora da Casa. O pedido será formalizado hoje.

Clube do bolinha  Joana sustenta que a eleição não ignorou só o critério da proporcionalidade dos blocos partidários, como também da proporcionalidade da representação feminina.

Seguro  O presidente reeleito da CMM, Wilker Barreto (PHS), afirma que a reação dos colegas não tem fundamento. “Como pode anular uma eleição em que cada cargo foi eleito no voto?”, questionou Wilker.

Outro tempo  O conselheiro Érico Desterro afirma que as empresas que administram os presídios no Amazonas tiveram prazo maior para responder informações na representação que pede o rompimento dos contratos do governo com elas porque foram notificadas depois das outras partes.

Nem aí  A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária ignorou as perguntas do TCE. Segundo Desterro, só o Governo se manifestou. A representação tenta suspender os contratos e é assinada pelo procurador Ruy Marcelo, do Ministério Público de Contas (MPC-AM).

Contraste  Como reforço do pedido para o TCE impedir a Prefeitura de Manaus de gastar dinheiro com o Carnaval, o MPC-AM argumenta que a verba que a Manauscult planeja investir na festa é mais que o dobro previsto para a expansão da atenção básica em saúde.

Prioridade  Nas contas dos procuradores, na LOA de 2017, há a previsão de se gastar R$ 1,3 milhão na expansão da atenção básica em saúde. No Carnaval, a prefeitura quer investir R$ 2,8 milhões.

Pela tradição  O secretário Bernardo Monteiro de Paula (Manauscult) defende que o carnaval é uma manifestação cultural legítima e tradicional, que aquece a cadeia produtiva e econômica da cidade.