Publicidade
Sim & Não

Medida provisória de Temer une e desune no Amazonas

02/06/2018 às 17:00 - Atualizado em 02/06/2018 às 17:24
Show marcio

Pega de calças curtas com o  ato presidencial que pode decretar a falência de indústrias no Estado, a bancada federal do Amazonas  se esforça agora para usar, em favor do modelo, o prestígio que demonstra ter com o governo Michel Temer. Todos se disseram surpresos com a investida contra o setor de concentrados, o que significa que sequer foram consultados. Ante à iminência de um novo caos na ZFM, caciques do Estado montam trincheiras para mostrar, de cada lado, quem  têm mais força. 

Lá e cá   Na última sexta,  enquanto o governador Amazonino Mendes (PDT) se reunia em Brasília com o presidente Michel  Temer, para tratar do ataque à ZFM, o senador Omar Aziz (PSD) convocava coletiva em Manaus para abordar o assunto. 

Cutucão Já a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) aproveitou a deixa para alfinetar os aliados de Temer no Amazonas. A parlamentar vai apresentar na próxima semana um projeto de resolução legislativa para sustar os efeitos da MP que derruba o incetivo de IPI de 4% para 20%. 

Memória Em texto distribuído  à imprensa, Vanessa  sustentou que “um dia após a maioria da bancada do AM ter livrado Temer” de ação no STF, o Ministério da Fazenda alterou a Nomenclatura Comum do Mercosul para a fabricação de extrato de concentrados de refrigerantes produzido no Estado”, o que, segundo ela, inviabilizava a produção local. 

Luz... No final da semana mais turbulenta para a ZFM das últimas décadas, junto com a bancada, Omar Aziz conversou com Temer por telefone, que garantiu resolver o impasse gerado pela MP que, na prática, quebra o polo de concentrados. “Vamos encontrar um caminho”, disse o presidente. 

No fim do túnel Na próxima terça-feira, às 16h, os congressistas do Estado têm um encontro com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, para buscar uma solução.  

Crítica  Relator na Câmara Federal da proposta de prorrogação dos benefícios da ZFM por 50 anos, o ex-deputado federal e ex-vice-governador Henrique Oliveira afirmou que a bancada federal do Amazonas precisa “parar de fingir que é forte e tem prestígio junto ao Palácio”. “Quem é forte não é pego de surpresa com decretos”. 
 
Indicações Henrique foi além e disse que “ficar fazendo beicinho não adianta”, aconselhando membros da bancada federal a renunciarem as indicações para cargos no governo federal - “Suframa , Basa, Delegacias dos Ministérios.. etc”. Para ele, Temer ignorou a bancada, “que vota em sua maioria com o governo” e, por tabela, o eleitorado do AM. 

Reação 1 Passados quatro dias da comunicação feita pela presidência do TRT/11 para que o Ministério Público Federal e a Polícia Federal tomassem providências ante ao descumprimento da ordem judicial que proibia a greve dos rodoviários, não se tem notícia, até aqui, das ações capitaneadas pelas duas instituições. 

Reação 2 Pelo documento que A CRÍTICA teve acesso, o MPF e a PF receberam o ofício do TRT/11 no dia 29 de maio, quarta-feira passada, com o pedido de providências. 

Mais polêmica Na volta do feriadão, esta semana, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado se prepara para colocar em votação vetos do governador.