Publicidade
Sim & Não

Moutinho quer concurso no TCE

18/05/2016 às 22:04 - Atualizado em 19/05/2016 às 10:10
Show sadfsdfgd

O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), Ari Moutinho, quer fazer concurso para contratar pelo menos 250 servidores. A intenção do conselheiro é realizar o certame ainda este ano, em novembro. Para isso, espera contar com a recuperação econômica do Estado. Segundo Moutinho, nos últimos dois anos, mais de 250 funcionários se aposentaram, deixando os cargos vagos. “A necessidade seria em todas as áreas. No mínimo neste número (250)”, diz o conselheiro.

Lance difícil  

A conjuntura não é favorável ao projeto de Ari Moutinho. Na terça-feira passada, o governador José Melo (Pros) reuniu chefes de poderes e de órgãos auxiliares para avisá-los da necessidade de apertar o cinto. De viagem a Portugal, Moutinho foi representado na reunião pela vice-presidente Yara Lins.

Estudando   

Moutinho está em Portugal desde sexta-feira, 13, onde permanecerá até amanhã. O presidente do TCE-AM participa de um seminário ibero-americano sobre Direito e Controle Externo.

Culpa 1  

Nota da Sefaz diz que o governo atrasou os subsídios das empresas de ônibus porque a Prefeitura de Manaus demorou a enviar informações ao governo.

Culpa 2 

O texto da Sefaz registra que: “Não foi realizado nenhum repasse financeiro porque o Estado só foi demandado pela administração  municipal com as informações do montante necessário no dia 7 de abril”. Para fazer os repasses mensais, o governo precisa aprovar uma lei específica dando-lhe autorização para conceder os subsídios. 

Incerto  

A Sefaz, na nota divulgada ontem, não dá garantias se os pagamentos serão retomados. Limita-se a informar que o Estado analisa “a possibilidade de dar prosseguimento” à concessão, “apesar de ter sido o Estado que sofreu a maior retração econômica”.

Dívida   

Falando em saldo devedor, os empresários do transporte coletivo reclamam que até hoje ainda não viram a cor dos R$ 6,5 milhões que a prefeitura deve a eles pelo transporte gratuito nas eleições de outubro de 2014.

Oba!  

Os empresários comemoraram ontem mais uma vitória na briga com o município. O STJ negou liminar da prefeitura contra decisão do Judiciário favorável ao aumento da passagem.

Domesticado   

Da deputada estadual Alessandra Campelo (PMDB) para o colega Platiny Soares (DEM): “O Platiny é um leão para gritar com mulher, mas um gatinho na hora de defender os interesses da PM junto ao governador”.

Novo contrato  

A Polícia Militar do Amazonas (PM-AM) trocou a fornecedora de alimentação. Saiu a Ripasa e entrou, sem licitação, a G.H. Macario Bento. Receberá R$ 9 milhões por um contrato de três meses. A empresa foi doadora de R$ 250 mil para a campanha do senador Omar Aziz (PSD).

Mãos atadas 

Ao defender a linha dura das escolas administradas pela PM-AM, o deputado estadual Dermilson Chagas (PEN) lamentou que, em casa, os pais não podem mais nem dar umas palmadas nos filhos. “Não pode ser uma palmada que espanque, mas que eduque”, reclamou.