Publicidade
Sim & Não

Número de candidatos do PT encolhe

22/08/2016 às 22:52 - Atualizado em 23/08/2016 às 11:26
Show jose ricardo

O número de candidatos a prefeito pelo PT reduziu no Amazonas, em relação às últimas eleições municipais. Em 2012, a sigla lançou 15 nomes ao cargo. Esse ano, em meio a uma crise sem precedentes na sua história,  a legenda vai disputar os votos dos eleitores em 11 prefeituras. Por outro lado, se a crise reduziu o número de aliados e candidaturas, em Manaus, o isolamento serviu para a sigla levar ao cabo uma candidatura à Prefeitura de Manaus, e quebrar um jejum que incomodava muitos filiados.

Árdua missão  

O último candidato a prefeito da capital pelo PT foi o ex-deputado federal Francisco Praciano, em 2008. Esse ano, a sigla lançou o deputado estadual José Ricardo, um defensor da ética na política, bandeira que para muitos a sigla já perdeu.

Briga por guarda

Sem acordo entre as partes, o juiz Marcelo Vieira deu prazo de 48h para que as coligações “Somos uma só Manaus”, de Artur Neto (PSDB), e “Mudança para transformar”, de Marcelo Ramos (PR), façam suas últimas alegações para que ele decida qual delas pode contar com o PPS na chapa, oficialmente.

Bigamia  

Depois de realizar convenção com o PR de Marcelo Ramos, o PPS municipal rachou e parte de seus dirigentes aderiram à candidatura do prefeito. A briga foi parar na Justiça e a decisão deve ocorrer no final dessa semana.

Veja bem 1

O deputado federal Arthur Bisneto (PSDB) nega que o presidente da juventude do PSDB, Rodrigo Guedes, seja o candidato a vereador apoiado por ele. 

Veja bem 2

Por meio de sua assessoria, o tucano afirmou que, como de costume, sequer votará em um candidato, e sim na legenda. Segundo Bisneto, a coligação encabeçada pelo PSDB tem mais de 400 candidatos. Não dá para escolher só um.

Direito certo

 Advogados do prefeito de Manaus diziam ontem que, apesar da ausência dele no debate da TV Bandeirantes, Artur tem direito a pedir direito de resposta, caso se sinta prejudicado por algo que foi dito sobre ele no programa.

Porta errada  

Já advogados de adversários do tucano pensam diferente. “Não terá direito. Aliás, se ele for ofendido, ele pode entrar com representação penal. Mas na esfera de propaganda eleitoral, não”, afirmou um advogado ouvido pela coluna.