Publicidade
Editorial

O inferno de crianças e adolescentes

09/08/2018 às 09:05
Show show whatsapp image 2018 08 08 at 10.19.59

O caso absurdo da menina de 13 anos prostituída pela própria tia, e envolvendo um proeminente empresário da cidade, infelizmente, não é um caso isolado. Infelizmente, relatos de abusos contra menores são denunciados todos os dias no Conselho Tutelar, que carece de estrutura para dar conta de tantas ocorrências. O combate ao abuso de crianças e adolescentes é extremamente dificultado pelo fato de que, com muita frequência, os próprios familiares participam do abuso.

Algo precisa ser feito para proteger os menores. A sociedade precisa se unir, formando uma ampla rede de proteção. Família, vizinhos, professores... todos precisam redobrar a atenção e usar os canais disponíveis para denúncia. Foi assim que o caso de ontem foi descoberto. Os professores da jovem perceberam anormalidades em seu comportamento, suspeitaram que ela era agredida fisicamente pela família e levaram o caso à Polícia.

As investigações constataram um cenário triste e revoltante. A mãe seria usuária de drogas, ela teria sido inicialmente abusada pelo pai biológico; afastada do convívio com os pais, ficou sob a guarda de um tio, mas a tia a agenciava para a prostituição sob ameaças.

Algo assim acontece porque há um largo mercado de homens endinheirados dispostos a pagar altos valores por encontros sexuais com menores de idade. Um “negócio” aparentemente lucrativo para os agenciadores. A tia receberia R$ 10 mil do empresário preso em flagrante pelo programa com a adolescente em um motel da capital.

Se em Manaus – que dispõe de instituições focadas na proteção das crianças e adolescentes – a situação é alarmante, o panorama deve ser muito pior no interior, sobretudo nos municípios mais longínquos, onde há historicamente um vazio institucional.  

A suspeita da polícia é que exista uma ampla rede de prostituição de crianças e adolescentes para atender clientes endinheirados no Amazonas. O caso de ontem seria apenas um em uma infinidade de outros. Quantas crianças e adolescentes estão vivendo o inferno diariamente por conta de abusos como esses? A sociedade precisa reagir. O empresário flagrado cometendo o abuso não pode ficar impune, assim como a tia agenciadora. A jovem abusada precisa, finalmente, sair do inferno.A