Publicidade
Sim & Não

O recado do eleitor para 2018

26/08/2017 às 19:37
Show tre

A apatia de grande parte do eleitorado do AM  com o pleito suplementar reflete um sentimento em comum do cidadão brasileiro: a tolerância do eleitor vem se esgotando com a mesma velocidade dos escândalos e mordomias que caracterizam a atuação da  classe política. Os votos brancos, nulos e abstenções dessa eleição tem, sim, um viés de recado para 2018. A maior  parcela da população não aguenta mais administrações nababescas e ao mesmo tempo surdas, que dão as costas para o apelo das ruas assim que acaba a eleição.

Assustador   No primeiro turno da eleição suplementar, 569.501 eleitores não compareceram às urnas para votar, o que corresponde a 24,35% do total de votantes. Somados aos brancos e nulos, 849.528 votos não tiveram qualquer destino. Para se ter ideia, Amazonino Mendes (PDT) obteve 577.397 votos e Eduardo Braga (PMDB) 377.680.

Por favor!   Tanto Braga quanto Amazonino reservaram tempo em suas propagandas de rádio e TV para pedir ao eleitor que não anule o voto. A perspectiva para a votação de hoje, conforme as pesquisas dos próprios candidatos que disputam o segundo tempo  deste pleito, é que a anulação de votos vai superar o primeiro turno.

Contenda O voto nulo, aliás, suscitou uma polêmica na Assembleia Legislativa do Estado (ALE/AM) na última semana. Discurso do deputado José Ricardo  foi interpretado por colegas como incentivo à anulação do voto. Sidney Leite foi o mais exaltado. Orlando Cidade também se mostrou irritado.

Conclusão  À coluna, José Ricardo explicou que não estimulou ninguém a votar nulo, mas disse que grande parte do eleitor pretende fazê-lo por “desesperença”, especialmente com as duas opções que se apresentam, membros da “velha política”, segundo o petista.

Escolha  “Eu não prego o voto nulo. Acho que as pessoas tem que escolher alguém (entre um dos dois)”, comentou José Ricardo. Questionado sobre em quem irá votar, ele riu e  afirmou: “Na hora a gente decide”.

Alvo 1  Tratado como uma “caixa preta” pelo Ministério Público de Contas (MPC), o destino dos investimentos da ManausPrev vem consumindo horas de trabalho no órgão. Uma força-tarefa do MPC e do TCE/AM investiga a aplicação de R$ 1 bilhão. Dentro de 40 dias, a investigação terá conclusões a respeito da real liquidez das operações.

Alvo 2  As aplicações do AmazonPrev, que somam R$ 3 bilhões, também estão na alça de mira do MPC. O órgão também será investigado, assim que a apuração no ManausPrev for concluída.

Novíssimo  O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ/AM) decidiu substituir boa parte dos seus móveis. Vai comprar 492 mesas e 216 armários. O custo, ao todo, será de R$ 346,6 mil.  O gasto consta em publicação do Diário de Justiça Eletrônico.

Entra...  Juntas, as unidades prisionais do Amazonas registraram, de janeiro até o dia 22 agosto deste ano, a entrada de 4.012 presos, retirados de circulação (pelo menos momentaneamente) por meio das ações da SSP/AM e das polícias Civil e Militar.

...e sai  No mesmo período (de janeiro a agosto) o sistema penitenciário registrou a saída de  3.294 presos, resultado, em sua maioria, das audiências de custódia.