Publicidade
Sim & Não

Omar diz que não fará perguntas para Dilma porque está convicto de que ela é criminosa

29/08/2016 às 10:45 - Atualizado em 29/08/2016 às 11:14
Show omar dilma

Dizendo-se convicto de que a presidente Dilma Rousseff (PT) é uma criminosa, o senador Omar Aziz (PSD) afirma que não ver necessidade de fazer questionamentos à petista, que nesse momento é interrogada por senadores na sessão do impeachment, no Senado.

Outrora aliado dos governos do PT, Aziz se diz convicto da culpa de Dilma “desde o primeiro momento” em que o processo de impeachment foi aberto. “O conjunto da obra é fatal para ela”, afirma o senador pelo Amazonas.

Durante seu pronunciamento no Senado, Dilma lembrou aos senadores que um presidente da República só pode ser retirado do cargo se for comprovada sua culpabilidade em algum crime. Pelo conjunto da obra, quem julga é o eleitor, por meio do voto, defendeu a petista.

Para o senador do PSD-AM, os senadores podem sim julgar a presidente pelo conjunto da obra, uma vez que eles representam os eleitores que os colocaram no Senado.

O senador Eduardo Braga (PMDB), que foi ministro de Minas e Energia da petista também não se inscreveu para fazer questionamentos à petista, e deve votar junto com Omar pelo o impeachment. A coluna tentou contado com o peemedebista, mas as chamadas foram encaminhadas para a caixa de mensagem do celular dele.

Da bancada do Amazonas, apenas a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) se inscreveu para fazer questionamentos a Dilma. A comunista votará a favor da absolvição da presidente.