Publicidade
Sim & Não

Omar pode embaralhar o jogo em 2018

03/02/2018 às 14:44
Show omar aziz

Principal articulador da eleição de Amazonino Mendes (PDT) na disputa do ano passado, o senador Omar Aziz (PSD) pode embaralhar o xadrez em formação para a corrida eleitoral, se decidir ser candidato ou formatar um novo grupo para a campanha de 2018. Até pouco tempo, Omar descartava a candidatura. Agora afirma que não é o momento para falar do assunto. O senador e o prefeito Arthur Neto (PSDB) mantém conversas. O tucano pode ser candidato com o apoio do mesmo grupo que trabalhou por Amazonino.

Reações  Parlamentares que tiveram muito próximos a Amazonino, na disputa de 2017, começam a esboçar contrariedade com o governo e distanciamento. Já Eduardo Braga, que era rival, está bem mais próximo do governador. 

Lógica  No mundo político, o que pesa na análise do jogo eleitoral se resume em uma palavra: sobrevivência. Por isso, a cada eleição, inimigos viram “mais chegados que irmãos”.

Despedida O  MDB (antigo PMDB) deve sofrer uma das maiores baixas no seu quadro de filiados com mandato, no Amazonas, após a abertura da janela partidária em março. Apesar de negarem em público, cinco parlamentares se preparam para partir.

Desamparo A ameaça de saída em massa tem como alegação o “abandono” do presidente estadual da legenda,  senador Eduardo Braga. A última reunião com todos os detentores de mandato e Braga se deu no dia 3 de março do ano passado.

Indiferença 1  Após a reunião de março do ano passado, Eduardo Braga continuou indiferente aos aliados.  Tanto que três deles, Vicente Lopes, Wanderley Dallas e Dallas Filho, decidiram apoiar publicamente o adversário do senador, Amazonino Mendes, na eleição suplementar para o governo do Estado.

Indiferença 2  De lá para cá, Braga não criou nenhuma estratégia de aproximação, dizem aliados, abrindo brechas para a insatisfação interna. A deputada estadual Alessandra Campelo é a única que segue fiel à orientações de Braga.

Legalidade  A “janela” para deputados estaduais e federais migrarem de partido sem a perda de mandato será aberta entre os dias 7 de março e 7 de abril de 2018. A saída legal dos parlamentares está garantida por força do artigo 22-A, III da Lei 9.096/1995 (Lei dos Partidos).

Temporada O dispositivo prevê a possibilidade daqueles detentores de mandato se desfiliarem durante os 30 dias antecedentes ao prazo final para filiação.

Articulação O ex-deputado estadual Eron Bezerra, presidente do PCdoB no Amazonas, disse que a sigla segue tentando ampliar o arco de alianças para a disputa eleitoral deste ano.

Acordos “Estamos empenhados na construção de uma frente eleitoralmente viável, nucleada na oposição e a mais ampla possível”, afirmou Eron. Ele já declarou ao SIM&NÃO que, desta vez, não fará aliança com o PMDB (MDB).

Barreiras Com ambições semelhantes, mas estratégias difusas, a esquerda no Amazonas encontra entraves para se unir em torno de uma candidatura ao governo do Amazonas. Agora, o PT avalia não se aliar com quem não repudiou publicamente a condenação de Lula.