Publicidade
Sim & Não

Operação deve apressar ‘Bico legal’

01/10/2016 às 21:10 - Atualizado em 01/10/2016 às 21:11
Show caminhos 2

A operação “Maus Caminhos” pode apressar a conclusão de um projeto que vem sendo elaborado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), que é o de por ordem e oficializar os “bicos” feitos por policiais militares nas horas de folgas. Causou constrangimento à cúpula da pasta a informação de que a investigação da PF e do MPF descobriu que PMs eram usados como seguranças particulares do grupo criminoso que desviou mais de R$ 110 milhões de recursos da saúde.

Bico legal. A ideia da SSP-AM é criar uma espécie de banco de dados dos policiais de folga, onde empresários interessados nos serviços dos militares poderão contratá-los, por meio da compra de horas de trabalho.

Dízimo. O esboço do projeto prevê que parte do dinheiro arrecadado pelos PMs seja destinado ao fundo estadual de Segurança.

Silêncio. Membros do MPF estranham que até essa semana não se tem notícia de que o comando da PM tenha iniciado algum tipo de investigação sobre a conduta dos policiais que trabalhavam para empresários presos na “Maus Caminhos”.

Bolso vazio. “Estou correndo da sala para cozinha. Batendo escanteio, correndo para cabecear e correndo para o gol nessa campanha lisa”. A frase é do vereador Marcel Alexandre, sobre a aperreio que foi fazer campanha para a CMM sem o patrocínio de empresas.

Uma certeza. Vereadores da base aliada de Artur Neto (PSDB) mais afastados do núcleo tucano têm uma certeza antes mesmo da apuração do votos hoje: a reeleição poderia ser mais fácil se tivessem recebido um pouco mais de atenção do cacique.

Ladainha. Durante todo o primeiro turno o assunto era uma constante na roda de conversa dos governistas.

Big Brother. Contratada pela Seduc e Semed, a empresa Inn tecnologias está nesse domingo com todas suas câmeras a serviço da Justiça Eleitoral. É por meio delas que o TRE-AM tentará identificar autores de crimes eleitorais que possam ocorrer nas escolas da rede municipal e estadual.

Torcida. O secretário estadual Pedro Elias (Saúde) acredita que em 2017 o Ministério da Saúde aumentará o teto financeiro dos procedimentos de alta e média complexidade para o Amazonas.

O ideal. Pedro Elias esteve em Brasília tratando do assunto, e diz que tudo indica que o apelo do Estado será ouvido. Segundo o secretário, o Amazonas recebe hoje R$ 151 reais per capita. Ele tenta aumentar para  R$ 193,00 reais, o que representaria R$ 240 milhões adicionais para 2017.

De volta. O Ipaam deve anunciar esta semana o cancelamento do concurso público de 2014 e qual será o procedimento para devolução da taxa de inscrição dos candidatos inscritos.

Quase 100%. Estudo da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) aponta que diminuiu em 95,4% o número de bairros com alta transmissão de doenças causadas pelo mosquito aedes aegypti. Segundo o secretário Homero de Miranda Leão (Saúde), hoje, apenas o bairro Cidade Nova, na zona Norte, permanece em alto risco.