Publicidade
Sim & Não

Oposição pega carona em crise

11/01/2017 às 21:15
Show eduardo braga0333

As digitais da oposição do PMDB do senador Eduardo Braga a José Melo (Pros) são bem nítidas nas vozes que se levantam para malhar o governo na crise do sistema penitenciário. Há digitais na ação da OAB-AM contra a empresa Umanizzare, assinada por advogados cujo escritório tem Braga como um dos clientes. E nas ruas e redes sociais, com organizadores de movimentos que pedem a saída de Melo do governo na folha do vice-prefeito Marcos Rotta (PMDB).

Digitais   Júlio Cesar Lins, que gravou vídeo convocando internautas para um ato contra o governador no próximo dia 15 é Chefe de Divisão de Articulação Política do gabinete de Marcos Rotta. Foi nomeado no dia 9.

É direito   À coluna, o vice-prefeito afirmou que não pode interferir no direito do servidor de se manifestar politicamente. “Sobretudo alguém como ele, que já tem um histórico de posições”, declarou Rotta.

O seguro...   Nem o Judiciário amazonense acredita na tese das autoridades de que estamos apenas “com uma sensação de insegurança” e não insegurança de fato. Terça, 10, o TJ-AM mandou instalar detectores de metal na sua sede e em todos os fóruns de Manaus.

...morreu de velho   Na justificativa para ampliar a segurança, o presidente do TJ-AM, Flávio Pascarelli, defende que a medida ocorre “em decorrência dos recorrentes episódios de violência ocorridos no Estado”. Todos que quiserem entrar nos prédios passarão pelos aparelhos. Até magistrados.

Pra explodir  Há motivos para o medo. Ontem, a Globonews exibiu matéria sobre um relatório do setor de inteligência da Secretaria de Segurança Públicos do Amazonas (SSP-AM) dando conta de planos de atentados contra o secretário Sérgio Fontes e membros do MP-AM.

Atrás de auxílio  Falando em Judiciário, o presidente em exercício do TJ-AM, desembargador Jorge Lins, reúne hoje com membros da Diretoria de Políticas Penitenciárias do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) para tratar sobre a crise nos presídios do Amazonas.

Quem será?  Chama a atenção a ausência de um rosto que represente a Umanizzare em meio à crise dos presídios em Manaus. Desde o início da crise, a empresa enviou oito notas à imprensa. Todas sem nenhuma declaração de um gestor ou responsável.

Tá tudo errado  Ex-assessores do governo garantem que não faltam motivos legais para romper o contrato com a Umanizzare.  “Há diversos vícios jurídicos nesses contratos, desde erros de soma nas planilhas de licitação, até faturamento sem o devido ateste”, comentou um ex-colaborador do governo.

Ideia fixa  Membros do governo admitem que José Melo já trabalha com a possibilidade de dar um fim ao contrato com a empresa responsável pela administração de unidades prisionais no Estado.

Para o mundo   O massacre de detentos em presídios trouxe a imprensa do mundo todo a Manaus. Somente da França há três equipes cobrindo o assunto na capital. Além das conhecidas BBC, emissora pública de rádio e televisão do Reino Unido, e Al Jazira - a mais importante rede de televisão do mundo árabe.