Sexta-feira, 10 de Julho de 2020
Editorial

Os dados da Covid-19


covid_2CEBC8CA-BBA3-49A4-B4C9-5B48AAF96FC6.jpeg
07/06/2020 às 05:15

O governo federal comete ato grave ao criar obstáculos para a divulgação de dados referentes aos contaminados e mortos pela Convid-19. Essa postura, já adotada em tempos passados, revela-se profundamente prejudicial a todos os segmentos da sociedade e à gestão púbica do País.

É impossível planejar e executar um planejamento em ações de prevenção e de atenção à saúde da população com dados manipulados pela sonegação da verdade ou por posicionamentos político-ideológicos que desprezam outros princípios. O que ora ocorre no Ministério da Saúde tanto no que se refere ao tratamento das informações sobre a pandemia quando ao programa de atenção à mulher, ao atendimento a prisioneiros com transtornos mentais fazem parte de um mesmo e perigoso pacote.

Por parte do governo, a conduta utilizada, no Ministério da Saúde, atenta contra o próprio governo que passa a ser visto, a cada dia, como maior desconfiança e assim tendem a ser recepcionados os dados oficiais divulgados pelos órgãos governamentais. Durante o governo militar, medidas semelhantes foram adotadas para negar epidemias e, dessa forma, o governo entendia que poderia atrair volumosos investimentos financeiros para realizar os projetos.

De lá para cá os instrumentos nacionais e internacionais foram alterados e pactos firmados em nome da governabilidade e de intercâmbios em vários setores, como o da saúde, com seus protocolos mundiais. Negar esses protocolos demonstra disposição governamental em romper com parâmetros democráticos, como direito à informação como direito fundamental, mais ainda quando esse direito é público. No caso da pandemia, o Brasil por reiteradas vezes se colocou contra os mesmos e, agora, seguindo o mesmo movimento feito pelo governo Trump, ameaça se retirar da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Investimentos internacionais em países com problemas como o do Brasil tornam-se uma interrogação. A instabilidade permanece elevada no País. O próprio governo Trump tem demonstrado preocupação e retirado a representação brasileira de vários eventos além de adotar condutas de veto o trato com os brasileiros.

Por outro lado, se a medida governamental é cercear o direito da imprensa de acessar os dados e divulga-los ou prejudicar determinados veículos, é um outro atentado que a sociedade brasileira não deveria ter que conviver. Os sinais postos concretamente, nessa área, devem ser percebidos o mais urgente pelo Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal e as demais representações das instituições democráticas.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.