Sábado, 19 de Junho de 2021
Editorial

Os desafios das mães


mae_CC6B123F-3133-4399-BA44-D30B8762E58E.JPG
08/05/2021 às 11:12

Na série de datas marcadas para uma maioria da sociedade mundial, o Dia das Mães remete a simbolismos culturais religiosos sem ignorar como o setor comercial capturou o evento como meio de ampliar vendas e obter êxito nos negócios de época. Este ano, em função das consequências da pandemia da Covid-19, o segundo domingo de maio, quando a figura da mãe é homenageada, irá lidar com outros cenários.

Trata-se da primeira vez, neste século, que entre as famílias brasileiras milhares delas foram atingidas com a morte de tantas mães entre as mais de 400 mil vidas perdidas para a Covid-19. As condições em que se deram esses óbitos, na maioria delas, não permitiram seguir o ritual do velório e do enterro, o que tornou mais difícil e mais dolorida lidar com as perdas.

São experiências marcantes, ainda não cessadas, que gradativamente vem sendo assimiladas em diferentes estágios de dor e de tristeza, de aceitação ou de rejeição ao ocorrido. O Dia das Mães deste 2021 será, de forma severamente ampliada, um momento diferente, com muitos lugares físicos vazios.

Viver as lembranças e agradecer pela vida das mães que se foram é um recurso pessoal para lidar com um tipo de ausência que afeta. Há mães e avós sobreviventes da pandemia e que começam a receber e a fazer visitas dos familiares. Celebrar a vida e agradecer por ela faz bem à saúde mental dos humanos. Ensina uma nova postura diante da aventura de viver, ora tão frágil, ora tão forte, convoca para a busca do equilíbrio e da reconciliação com o bem-viver.

Muitas mães, vivas, lidam com outras perdas, como as mortes de filhos por ataques inesperados, como o que ocorreu no município de Saudades, em Santa Catarina, ou de operações, como a que ocorreu no Jacarezinho, no Rio de Janeiro, aquelas que estão sem os filhos mortos por balas perdidas, em cinco anos foram cem, entre outras ocorrências, por maus-tratos de cianas, atos cada vez mais frequentes no País. Há mães que lidam com o desemprego e a fome que se tornaram companhia presentes no dia a dia delas e de suas famílias.

Existe espaço à comemoração das mães. Que este se faça generoso e solidário como um primeiro passo para que a alegria seja restabelecida. Que a amorosidade ganhe maior expressão e se faça prática maior.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.