Publicidade
Sim & Não

Pascarelli resume biênio: ‘superação’

03/07/2018 às 21:01 - Atualizado em 04/07/2018 às 00:00
Show pascarelli

Após dois anos na presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ/AM), o desembargador Flávio Pascarelli passa hoje o comando da Corte ao colega Yêdo Simões, sustentando que o último biênio no órgão foi  de “superação através do diálogo”. “Superamos a crise”, diz ele, se referindo ao orçamento curto de dois anos atrás e à posição vexatória do TJ/AM, que figurava no último lugar em  ranking dos tribunais estaduais no cumprimento das Metas do CNJ. Hoje está em 4º.  

Negociador  Articulador nato, Flávio Pascarelli usou da expertise para lograr êxito nas investidas em favor do TJ/AM. “Conseguimos nos superar com a ajuda da Assembleia e do Executivo, que nos possibilitaram um acréscimo do duodécimo”, comentou.

Balança  Questionado sobre o ônus de carregar o peso da função, Pascarelli revelou que engordou 12kg. “Faltava tempo para quase tudo”, comentou. Mas, conforme contou o magistrado, sobrou tempo para compor “uns sambinhas” entre um voo e outro.

Academia  Agora, o desembargador disse que retomará os estudos. “Vou voltar para o Doutorado”, adiantou à coluna. 

Anúncio   O senador Omar Aziz vai confirmar amanhã às 15h, durante entrevista coletiva, em que posição o PSD vai jogar na eleição deste ano. O parlamentar é pré-candidato ao governo.

Atuação  Omar concederá a coletiva na sede do PSD logo após uma reunião da Executiva Estadual do partido que vai discutir, conforme anunciado ontem,  “a participação da legenda na sucessão estadual”.

À vontade 1   A deputada estadual Alessandra Campelo, que vai disputar a reeleição  pelo MDB de Eduardo Braga, se tornou figurinha repetida  em eventos do PR de Alfredo Nascimento, que, assim como Braga, disputará uma vaga para o Senado Federal. 

À vontade 2  Provocada sobre o assunto, Alessandra Campelo admitiu que vem  promovendo reuniões políticas ao lado de Marcelo Ramos, pré-candidato à Câmara Federal pelo PR. “ Temos muitos apoiadores em comum”, justificou. 

Derrota 1  O governo Temer praticamente perdeu a queda de braço na privatização das seis distribuidoras de energia da Eletrobras, entre as quais a Amazonas Energia. O projeto que está na Câmara não tem apoio da própria base aliada, que teme desgaste eleitoral com as famílias dos seis mil trabalhadores do setor.

Derrota 2  A próxima semana é a última antes do recesso. Como no retorno os parlamentares estarão focados nas eleições, será quase impossível votar o projeto  de privatização das distribuidoras de energia da Eletrobras ainda este ano.

Vitória  Por outro lado, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) comemora a aprovação da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), que seu partido apresentou no STF, por meio da qual foram suspensas todas as privatizações no setor elétrico que não foram aprovadas antes pelo Congresso.

Resultado  Segundo Vanessa, a privatização da Amazonas Energia aumentaria a conta de luz para os amazonenses e acabaria com programas importantes no interior como o Luz para Todos.