Publicidade
Sim & Não

Pauta-bomba no TCE põe na mira três 'governadores' do Amazonas

16/12/2018 às 09:30
Show 1544916531183789 0d935a56 8db7 4b74 bded 69abc97cbd7a

O Tribunal de Contas do Estado escolheu a próxima terça-feira (18), véspera do recesso forense, para julgar as contas do exercício 2017 do Executivo Estadual, o mais turbulento do Amazonas, quando o Estado foi administrado por três governadores. Serão julgadas as contas de José Melo, do período de 1º de janeiro a 8 de maio daquele ano; de David Almeida, que vai de 9 de maio a 3 de outubro; e Amazonino Mendes, que governou, em 2017, de 4 de outubro a 31 de dezembro. A reunião inicia às 9h.

Sessão

O parecer sobre as contas dos três governos será emitido pelo procurador Carlos Alberto de Almeida, pai do futuro vice-governador eleito na chapa de Wilson Lima. O relator do caso é o conselheiro Júlio Pinheiro.

Memória 1

No auge da crise econômica, em 2017, nove meses após o turbulento processo de impeachment de Dilma Rousseff, o Amazonas passou por outro vendaval ao ter, pela primeira vez na história, um governador cassado pela Justiça Eleitoral. Sete meses após a cassação, José Melo foi preso pela Polícia Federal.

Memória 2

A decisão do TSE forçou a realização de um novo pleito no Amazonas e os eleitores tiveram que ir às urnas em dois turnos, no ano passado, quando Amazonino Mendes levou a melhor sobre o senador Eduardo Braga.

Torpedo

O procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho (MPT/11),  Jorsinei Dourado do Nascimento, criticou fala do presidente eleito Jair Bolsonaro, que, no início deste mês, sustentou que “é difícil ser patrão no Brasil”. 

Disparo

“Diante de afirmativas que ouvimos nos últimos dias, de que é tormentoso ser patrão no País, posso garantir  que não menos difícil, e extremamente tormentoso, é ser trabalhador e empregado no nosso País, diante de tanta exploração”, afirmou Jorsinei Dourado, sem citar o nome de Bolsonaro. 

Aplausos

As considerações do procurador foram dadas durante a solenidade de posse da nova direção do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, na última sexta-feira (14). Pela declaração, Jorsinei  foi aplaudido.

Feito

No evento que oficializou o novo comando do TRT/11, ganhou destaque o legado deixado pela gestão anterior. Sob a direção da desembargadora Eleonora de Souza Saunier, o tribunal alcançou o Selo Diamante, concedido pelo CNJ ante à excelência dos serviços.

Histórico

No Brasil inteiro, além do TRT/11 só três tribunais conquistaram o Selo Diamante: o STJ, TRT/3 e o Tribunal de Justiça de Sergipe. O TJ/AM e o TRE/AM, que já foram ouro no Selo Justiça em Números, ficaram com a prata agora.

Ficha caiu

O membros do PSL do Amazonas que assumem cadeiras na Assembleia e na Câmara Federal, no ano que vem, já perceberam o quão difícil será defender a gestão Bolsonaro diante do perfil econômico que o guru Paulo Guedes quer implementar no País.

Força-tarefa

Dentro do PSL, em discussão recente, o partido começou a debater formas de apoiar a atuação dos delegados Péricles e Pablo, no Amazonas e em Brasília, especialmente quando as discussões sobre a Zona Franca de Manaus (ZFM) iniciarem.