Publicidade
Sim & Não

Politiqueiros são ‘desgraça’, diz Amazonino

18/03/2018 às 16:32 - Atualizado em 18/03/2018 às 17:29
Show amazonino

Ao defender as ações do  Executivo Estadual para enfrentar a crise econômica, o governador Amazonino Mendes (PDT) subiu o tom contra os críticos e mandou um recado para quem ainda pressiona o governo por loteamento de pastas. “Vamos agir com pulso firme, sem grupos. Não se preocupem com os poliqueiros. Foi essa desgraça que acabou com o País”, disse ele, no final de semana, em fala dedicada aos seus seguidores nas redes sociais. 

Pressão   As declarações de Amazonino vieram após a semana de maior temperatura do atual governo, que enfrentou protestos de dois grandes setores do serviço público: a Polícia Militar e os servidores da Seduc. 

Aviso  Ao dizer que a crise está superada, o governador sustentou que isso teve um custo: “Sacrifício, coragem,  enfrentamento de grupos, de interesses”, disse. “O Estado está sendo conduzido com pulso firme. Não se arreda pé”.

Causa que segue No vídeo, pela primeira vez Amazonino Mendes menciona a possível continuidade de seu governo. “O Amazonas é outro. Mudou. Superamos aquela crise terrível. Mas, o mais importante, lá na frente, seja quem for, quem venha, se continua, se não continua, vai pegar um Estado completamente restaurado”. 

Junto e misturado   O deputado estadual Sidney Leite e o deputado federal Pauderney Avelino cumpriram agenda conjunta no último sábado, em visita aos distritos de Campinas do Norte e Sacambu, zona rural de Manacapuru.

Haja luz   Os locais foram beneficiados com novas usinas elétricas. Construídas pela Eletrobrás, através do programa “Luz Para Todos”, as usinas vão gerar mais de 1000kwa.  

Sinais   Pauderney anda grudado no senador Omar Aziz, líder do PSD. Sidney está com um pé no partido e Omar. 

Cálculos    O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) apresenta na sessão plenária de amanhã, na Assembleia, comparações de valores de planos de saúde com contratos individuais e coletivos. Na avaliação dele, os professores da rede estadual de ensino vão sair perdendo se o governo  repassar a eles a quantia antes paga à Hapvida. 

Tabela  “Todos nós sabemos que quando o plano de saúde é coletivo o valor vai lá para baixo, mas quando é individual, vai lá para cima. Nenhum professor vai conseguir pagar um plano de saúde”, adiantou o parlamentar à coluna.

Greve Na última sexta-feira (16), os professores protestaram por reajuste salarial e pela volta do planos de saúde. Alheios ao Sinteam e orientados pela Asprom/Sindical, os educadores prometem cruzar os braços essa semana. 

Garantia 1   O deputado federal Gedeão Amorim (MDB) propôs ao Ministério da Educação (MEC) e à Camara Federal, por meio de requerimento, a ampliação dos repasses do Fundeb. 

Garantia 2   A proposta tem dois objetivos: aumentar o percentual de repasse que é 10% da receita total do município e ampliar o prazo para a destinação do benefício que, pela atual legislação, acaba em 2020. “Nossa ideia é incorporar o Fundeb ao corpo permanente da Constituição Federal”, disse Gedeão.