Publicidade
Sim & Não

PSB e PCdoB em clima de impasse

17/06/2018 às 22:13 - Atualizado em 17/06/2018 às 22:32
Show david e vanessa

“Estaremos ao lado de vocês para formarmos a aliança do bem”. A frase é da comunista Vanessa Grazziotin, dita no dia 7 de junho para o presidente da ALE/AM, David Almeida, em cima de um palanque no lançamento da pré-candidatura dele ao governo. Parecia que PSB e PCdoB estavam fechados para 2018. Não estão. Tudo mudou depois que David foi metralhado por críticas de apoiadores e pastores justamente por aparecer ao lado de Vanessa. O PSB estuda agora como conciliar a união.

Reação Numa parte do meio evangélico, onde David Almeida transita com desenvoltura, as ideologias defendidas pelo PCdoB somadas ao desgaste da imagem de Vanessa durante o impeachment de Dilma Rousseff estão entre os fatores de rejeição à aliança.

Pacificador  Nos bastidores, o  presidente de honra do PSB, deputado Serafim Corrêa, tenta minimizar a saia justa com o PCdoB, sem descartar a união. Oficialmente, o parlamentar não comenta o assunto.

Requisito O pré-candidato ao governo David Almeida confirmou não haver acordo firmado com o PCdoB e que seu objetivo é “unir as oposições dentro de um projeto de mudança”. “Nessas uniões não estão em negociação meus princípios nem meus conceitos, que são inegociáveis”, avisou.

Então... Procurado pela coluna, o presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra, tratou de distensionar a pendenga. “O que ele (David) disse, e é verdade, é que não existe nenhuma coligação celebrada com o PSB. Da nossa parte não há reparo”, comentou Eron.

Escolha Eron ainda acrescentou: “A candidatura do David é uma das alternativas que nós analisamos, assim como outros partidos do campo de oposição analisam. O que vai se decidir nessa eleição são campos. Qual é o campo que cada um vai representar e defender?”, comentou. O comunista foi além. “O David terá que dizer claramente, e todos terão, que campo representam. Não terão como fugir desse debate”.

Parceria  Ainda não foi com a gestão Arthur Neto. O governador Amazonino Mendes (PDT) escolheu a Prefeitura de Coari para iniciar uma ação conjunta, com uma ajuda do Estado de R$ 13 milhões para a compra de asfalto e R$ 2 milhões para a instalação de lâmpadas LED no município.

Pop Amazonino foi recebido em clima de histeria em sua passagem pela cidade no fim de semana. Conforme divulgou o governo, “na ação conjunta, a Prefeitura de Coari entrou com recursos de R$ 35 milhões e anunciou um pacote de 54 obras na cidade”. 

Slogan   Na opinião da ex-primeira-dama Nejmi Aziz, pré-candidata à Assembleia, “o Brasil é um país maravilhoso; só faltam duas coisas...Ordem e Progresso”, disse ela, ontem, por meio de suas redes sociais, onde aparece  abraçada a uma bandeira do País.

Antigo   “Ordem e Progresso” foi o slogan escolhido por Michel Temer assim que ele assumiu o governo em definitivo, ao substituir Dilma Rousseff.

Debate Uma audiência pública que será realizada hoje no Legislativo Estadual discutirá a regularização fundiária de propriedades da Suframa em Manaus e no município de Rio Preto da Eva.